Rabo de Galo, clássico dos botecos e da alta coquetelaria brasileira

rabo-de-galo-coquetel-cachaca-mapadacachaca

Em meados dos anos 1950, a empresa italiana Cinzano se estabeleceu numa efervescente São Paulo, cidade que então ganhava a alcunha de locomotiva do Brasil, não apenas pelo aumento de indústrias e empregos, mas também por ser um centro cultural e de inovação. De olho nesse mercado, a Cinzano percebeu que nos bares e balcões se bebia muita cachaça, mas sem misturar com outras bebidas. Seguindo as tendências europeias de combinar destilados com vinhos e bitters, a empresa italiana criou seu próprio cocktail, assim em inglês mesmo, ou em bom português literalmente “rabo de galo”, incentivando a mistura de cachaça com o vermute da marca. No Brasil, encontramos diversas versões de rabo de galo, conhecido também como traçado, algumas levando Underberg, licores, vinhos doces ou amargos e até mesmo Fernet.

A receita do Rabo de Galo tem tudo para ser uma das grandes representantes da coquetelaria nacional ao lado da Caipirinha. A Caipirinha, no entanto, não é algo tão simples de preparar como as pessoas pensam. O limão taiti é bastante acessível no Brasil e em países tropicais, mas encontrar um mero limãozinho taiti no Hemisfério Norte pode ser tarefa difícil e cara.

SERIA A CAIPIRINHA ENTÃO O MELHOR COQUETEL PARA PROMOVER A CACHAÇA?

Sem dúvida a Caipirinha é uma receita histórica, saborosa e muito importante para a difusão do destilado nacional, mas o Rabo de Galo além de ter uma receita relativamente simples tem seus ingredientes disponíveis em qualquer lugar do mundo – gelo, bitter, uma boa cachaça e um bom vermute são ingredientes que podem ser encontrados nas principais capitais mundiais. Está aí um belo reforço para promover a cachaça em todos os cantos do mundo!

rabo-de-galo-coquetel-cachaca-mapadacachaca

Rabo de Galo

Popular nos botecos brasileiros, o Rabo de Galo vem ganhando destaque em bares da alta coquetelaria e se consolidando com um dos principais coquetéis para a divulgação da cachaça ao lado da Caipirinha.
Servings 1 porção

Ingredients
  

  • 50 ml de cachaça envelhecida Leandro Batista
  • 20 ml de vermute Carpano Clássico
  • 10 ml Cynar
  • gelo
  • casca de limão-taiti

Instructions
 

  • Coloque a cachaça, o vermute e o Cynar em um mixing glass com gelo, mexa até resfriar e coe em um copo baixo. Guarneça com um twist de limão-taiti.
Mapa da Cachaça

Mapa da Cachaça

O Mapa da Cachaça é uma premiada plataforma multimídia com o objetivo de compartilhar informações sobre a cultura, história, aromas e sabores do destilado brasileiro.

Quer receber no seu e-mail 5 aulas gratuitas sobre cachaça? Assine nossa newsletter exclusiva e durante 5 dias te enviaremos o melhor conteúdo sobre o destilado brasileiro!

Compartilhe esse artigo

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • Adicionar um comentário

    Já se inscreveu no Mapa da cachaça?

    40 mil já fazem parte da nossa comunidade.

    Se inscreva agora e receba no seu e-mail o melhor do Mapa da Cachaça