Cachaça Princesa Isabel lança edição em parceria com associação ambiental

Anta e cachaça Princesa Isabel

Novo rótulo da cachaça Princesa Isabel terá 15% do valor arrecadado nas vendas destinado a projetos de educação ambiental para conservação dos animais silvestres

Pela primeira vez, os pássaros que estampam os rótulos da cachaça Princesa Isabel vão dar lugar a uma nova espécie. As famosas aves em aquarela, que reverenciam a terra onde o destilado orgânico é produzido às margens do Rio Doce, em Linhares, no Espírito Santo, acabam de ganhar a companhia de uma simpática família de antas.

Pro Tapir

A edição especial em garrafa âmbar, de 600ml, foi lançada em parceria com o Projeto Pró-Tapir, associação ambiental sem fins lucrativos que atua na preservação de antas, queixadas, catetos e veados na mata Atlântica capixaba, desde 2010. A ideia de estampar o animal, considerado em perigo no país, surgiu no fim do ano passado, depois que representantes da entidade conheceram a moderna estrutura de produção da Princesa Isabel.

Para além do novo rótulo, a edição especial nasce com um novo propósito: ajudar na conscientização para a preservação das antas – no Espírito Santo esses animais só ocorrem, e sobrevivem, na região de Linhares e Sooretama. Para isso, a Princesa Isabel vai doar 15% de toda a renda arrecadada, com a venda da cachaça. O dinheiro será investido em ações de educação ambiental e divulgação científica, para alunos do ensino fundamental e médio. Assim, além de valorizar a biodiversidade regional, a Princesa Isabel vai colaborar com a formação de base para a conservação dos animais silvestres.

Pedro Henrique Cellia, produtor da cachaça e filho de Adão Cellia, proprietário do alambique, conta que todos estão muito entusiasmados com o lançamento. “Meu pai, na última década, tem se empenhado muito na preservação ambiental e as antas precisam disso, precisam de uma grande área de floresta para sobreviverem”, explica. A Fazenda, onde a cachaça Princesa Isabel é produzida, fica localizada há cerca de 40 quilômetros da Reserva Biológica de Sooretama, habitat de importantes espécies da fauna e flora brasileiras.

Cachaça orgânica premiada, armazenada em Jequitibá Rosa, compõe a nova edição e ressalta o sabor do Espírito Santo.

Para além do rótulo que encanta, a cachaça que compõe a nova edição também é muito especial e premiada. Foi eleita, em 2018, como a melhor cachaça do Brasil e tem tudo a ver com a terra. “Escolhemos uma cachaça Princesa Isabel Aquarela orgânica armazenada por três anos em dornas de Jequitibá Rosa, a árvore símbolo do Espírito Santo”, conta Pedro. Atualmente, essa é a cachaça mais procurada e o grande referencial da produção da Fazenda Tupã.

Andressa Gatti, coordenadora do Pró-Tapir conta que a escolha da Princesa Isabel não foi por acaso:

“Nós acreditamos na arte como ferramenta para a conservação da floresta e a Princesa Isabel é uma excelente cachaça envolvida na vertente artística e ambiental”.

Andressa Gatti, coordenadora do Pró-Tapir

Conhecida por valorizar a sustentabilidade, a produção do destilado da família Cellia segue rigorosos padrões de qualidade, todo o processo é orgânico e usa energia 100% limpa, a partir da mini usina solar instalada na propriedade. A fazenda também é produtora de gado e cacau, e investe no reflorestamento.

Cachaça e arte como ferramentas de conservação da biodiversidade ao lado de quem respeita a floresta e produz com sustentabilidade

Na natureza, a convivência de pássaros e antas já é considerada uma parceria de sucesso. As antas são conhecidas como as jardineiras da floresta, espalhando sementes frutíferas que servirão de alimento e proteção a outros animais. Andressa acredita que essa união com a cachaça Princesa Isabel também vai gerar bons frutos, disseminando e levando, ainda mais longe, a mensagem de preservação da fauna e flora para novos públicos. “Enquanto as antas seguem plantando árvores, nós seguimos por aqui plantando novas ideias”, completa.

Garrafa de cachaça pro tapir Princesa Isabel

A anta é um animal estigmatizado, por isso, a arte que estampa a cachaça busca apresentar uma representação carinhosa. A aquarela mostra um filhote com a mãe e foi pintada por uma artista local, a veterinária Itatiele Farias Vivian, outra parceira do projeto. O rótulo também traz informações importantes sobre a situação desses animais no Espírito Santo, além de dicas de preservação como a redução de velocidade para motoristas, em estradas que cortam reservas naturais.

No Brasil, a anta aparece como espécie vulnerável na lista do Ministério do Meio Ambiente. Os atropelamentos, os incêndios e o desmatamento são as principais causas de morte desses animais. No Espírito Santo, populações inteiras já foram extintas em várias localidades, segundo estudos do Pró-Tapir. E a estimativa é de que, apenas, 200 antas ainda sobrevivem na região de Sooretama.

A novidade da Princesa Isabel será lançada oficialmente nesta segunda-feira, 21 de setembro, em evento virtual respeitando a normas sanitárias, e estará disponível para compra na loja online de bebidas virtuosas, Ethylica ou pelo telefone (11) 94468-9410.

Participe do nosso grupo no WhatsApp e receba em primeira mão nossas novidades, eventos e promoções

Ana Paula Palazi

Ana Paula Palazi

Jornalista, repórter, especialista em jornalismo científico e cachaceira. Atualmente, misturando comunicação, cachaça e percepção pública da C&T num mestrado pela Unicamp

Quer receber no seu e-mail 5 aulas gratuitas sobre cachaça? Assine nossa newsletter exclusiva e durante 5 dias te enviaremos o melhor conteúdo sobre o destilado brasileiro!

Compartilhe esse artigo

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Dadinhos de madeira

Dadinhos de Madeira 1kg – Sem Tosta

Um quilo de dadinhos de madeiras sem tosta para envelhecimento acelerado. As opções de madeiras são: Amburana, Bálsamo, Carvalho, Castanheira, Cumaru, Eucalipto, Ipê, Jaqueira, Jequitibá, Putumujú

Comprar
mood_bad
  • Comentários encerrados.