Cachorra Laika - crônicas e contos do Mapa da Cachaça

Em 03/11/1957, a cadela russa Laika virou vedete internacional ao ser a primeira criatura viva a participar, como tripulante de uma viagem espacial pelo cosmo. A humanidade acompanhou emocionada a ida, a permanência e o retorno da nave com a pequena criatura a este mundo grande e bobo.

Aí, a moda pegou com borra! Em todo o planeta, milhares de cadelas que nasceram coincidentemente com o evento receberam o pomposo nome de Laika.

Nos Montes Claros, não foi diferente! No bairro Morrinhos o hoje mestre de obras Adail, na época um dos componentes da equipe de montadores de ferragens do mestre Tonicão, batizou a sua cadela de Laika.

Apenas lembrando que Tonicão foi o responsável pela ferragem do Edifício Ciosa, no centro. Já findando a obra e estando Adail e mais alguns companheiros mais ou menos folgados, pegaram um bico para abrir uma cisterna no bairro Delfino Magalhães, um ermo sem água encanada.

Aceitaram a empreitada na tora, já que nenhum deles era habilitado em perfurações de cisternas. Botaram a tralha nas costas e partiram entre trilhas via bairros Santa Rita I e Cintra, até atingirem o local determinado.

Como a Laika era treinada para correr atrás de objetos atirados e trazê-los de volta ao dono, a levaram para se divertirem no caminho, nos momentos de folga e tê-la como guardiã da cesta de vime com os almoços e as garrafas de cachaça.

Em certa altura da perfuração depararam com uma camada de pedra. Adquiriu com o mestre pirotécnico Marciano Fogueteiro uma banana de dinamite artesanal com o objetivo de romper o obstáculo. Sem conhecimento das técnicas a serem empregadas em perfuração e todos já cheios de goró, partiram para o improviso.

Como já estavam de fogo de tanto beberem a maldita, botaram um pavio longo, acenderam, lançaram o petardo no buraco quando a pedra deveria ter sido perfurada e nela introduzida o petardo.

A banana acesa ficou presa em um garrancho na borda do buraco. Laika, certa de se tratar de mais uma brincadeira do dono, abocanhou o explosivo e o levou de volta para o dono. A galera fugiu horrorizada abrigando-se em uma construção no interior do lote. Entraram e saíram pelas portas e janelas e a Laika nos seus calcanhares com a banana de dinamite na boca

Quando o estopim estava a vinte centímetros do explosivo, um peão teve uma idéia salvadora. Apanhou uma manga no chão, lançou longe e gritou: pega Laika! Deu certo. A cadela se afastou no encalço da fruta e a galera se mandou pelos fundos via bairro Cintra, na direção oposta.

A construção virou pó com a explosão e Laika entrou em órbita, para não mais retornar…

 

 

foto: Creative Commons

Participe do nosso grupo no WhatsApp e receba em primeira mão nossas novidades, eventos e promoções

Quer receber no seu e-mail 5 aulas gratuitas sobre cachaça? Assine nossa newsletter exclusiva e durante 5 dias te enviaremos o melhor conteúdo sobre o destilado brasileiro!

Compartilhe esse artigo

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Dadinhos de madeira

Dadinhos de Madeira 1kg – Sem Tosta

Um quilo de dadinhos de madeiras sem tosta para envelhecimento acelerado. As opções de madeiras são: Amburana, Bálsamo, Carvalho, Castanheira, Cumaru, Eucalipto, Ipê, Jaqueira, Jequitibá, Putumujú

Comprar
  • wenderson
    janeiro 17, 2013 at 5:38 pm

    nossa que horror… coitada da cadela. porque esses homens não pegaram a banana de dinamite e jogaram longe?
    covardes.

Adicionar um comentário
%d blogueiros gostam disto: