Natanael Binicontro da Cachaça Companheira

O engenheiro químico Natanael Bonicontro construiu uma alta reputação na produção de cachaças artesanais no Paraná nos últimos 27 anos. A Cachaça Companheira sempre esteve classificada entre as melhores do país e parte desse sucesso vem de um processo produtivo diferenciado.

Quando era jovem, Natanael Bonicontro experimentou destilar a bebida que lhe havia rendido uma das piores bebedeiras. Foi amor, à segunda vista. Agora, ele é o responsável pela produção da Cachaça Companheira e ouvi-lo falar do destilado brasileiro é ter uma aula particular de história da cana-de-açúcar e química dos destilados. O engenheiro químico faz as coisas de forma diferente. A fábrica da Companheira, no Vale do Ivaí (PR), não é um alambique típico de Cachaça.

Natanael comprou a propriedade em 1993 para realizar o sonho de empreender e não queria “imitar” as destilarias tradicionais da região, fortes na produção de aguardente em coluna. Em vez disso, ele projetou e mandou construir seu próprio alambique, inspirado num processo de refino sofisticado, como o do petróleo. Leitor assíduo de livros, também bebeu de referências sobre a produção de uísque para desenvolver o destilador contínuo, inteiramente de cobre, com partes de fácil remoção para limpeza periódica, evitando o acúmulo de substâncias indesejáveis na bebida.

“Cachaça não é só álcool e água, ela tem muitos componentes. Nas usinas, o funcionamento contínuo gera acúmulo de substâncias na coluna, que são contaminantes, por conta da maneira de operar. Eu interrompo e esgoto a coluna diariamente, esgoto o óleo fúsel, que é o óleo da cana. Meu destilador é um misto de alambique por batelada com operação contínua, com as vantagens dos dois métodos de destilação.”

Natanael Carli Bonicontro, produtor da Cachaça Companheira

Cachaça Companheira: muito além da química

O alambique da Cachaça Companheira está situado em Jandaia do Sul, cidade que busca o título de capital paranaense da cachaça e a certificação de  denominação de origem. O Paraná possui nove indicações geográficas e, se aprovada, essa será a primeira em cachaça do estado, especialmente, por causa da família Bonicontro. Jandaia aparece como a segunda cidade com maior número de marcas de aguardente do país, atrás apenas de São Roque de Canaã (ES), mas, quando se fala em produção artesanal de cachaça, nenhuma é tão prestigiada como a Companheira, única produtora da cidade. 

O produtor aprendeu a teoria da destilação na faculdade, mas foi como engenheiro de processamento de petróleo, na Petrobras, que adquiriu o conhecimento prático aplicado, hoje, no alambique. Por mais estranha que possa parecer a comparação, Natanael explica: petróleo e cachaça têm igualmente, em sua composição, gases, substâncias voláteis, coração e cauda. Além dos rótulos próprios, a Companheira produz para marcas como a Cachaça 4 madeiras Estância Moretti – medalha de duplo ouro no Concurso Mundial de Bruxelas 2021 – e tem influenciado a formação de novos produtores, como a microdestilaria de gin it44, nascida de um estágio na cachaçaria paranaense. 

Natanael tem como meta alcançar a pureza das bebidas e, para isso, entende que é preciso controlar todo o processo. Ele colhe o máximo de doçura da cana-de-açúcar no canavial próprio. O que acontece no período de temperaturas mais baixas do inverno. Não usa produtos químicos e faz o corte manual, sem uso de fogo. Aplica leveduras próprias da cana para a fermentação em caldo o mais limpo possível, resultado dos cuidados na colheita e moagem. Ao mesmo tempo, acrescenta ter um solo rico em nutrientes, onde predominam rochas vulcânicas, que influenciam a fertilidade das plantas e autenticidade da cachaça. 

“O solo de Jandaia do Sul é muito rico em todos os minerais. Aqui, não precisamos moer pó de rocha para misturar na terra. Estamos em cima da própria rocha. Nosso microclima, a variedade da cana que usamos, o processo de fermentação e a destilação na coluna de cobre garantem uma cachaça com baixo teor de congêneres, o que confere leveza à bebida”, diz.

Fachada da Cachaça Companheira

Cachaça artesanal: a realização de um sonho

Natanael está ampliando os tipos de madeira usadas no envelhecimento. Adepto do consagrado carvalho e famoso pelos blends, ele busca novos temperos, para além da tradição em imburana e da aposta em castanheira. Jaqueira parece estar na lista das madeiras brasileiras que serão adquiridas.

“As madeiras brasileiras são boas pra combinar com os carvalhos. O primeiro blend de carvalho com madeiras brasileiras foi a Cachaça Companheira Gatinha, carvalho francês e americano, um pouco de imburana e cachaça prata pra equilibrar. Fizemos também a Estância Moretti 4 madeiras e a Companheira Dueto que é um blend Premium terminado em barris de carvalho francês.”

Em 2022, quer ter também a própria marca de gin. Como autodidata, tem feito testes para compreender a influência dos botânicos e a diferença dos tipos de álcool para além do que lê nos livros. “A minha meta era viver do meu negócio. Foi longo o tempo de caminhada para chegar até aqui e, hoje, a empresa está crescendo. Me considero realizado, minhas filhas trabalham junto comigo e vão dar continuidade no negócio”.

Assim como o pai, as filhas Raquel de Brito Bonicontro e Sara de Brito Bonicontro também são apaixonadas por cachaça. Raquel é a master blender da Cachaça Companheira, já Sara cuida da imagem da marca. O nome é inspirado no comportamento do pássaro joão-de-barro e tem muita semelhança com a história dessa família cachaceira, resumida numa frase no slogan: “Mais do que feita à mão, Cachaça Companheira é feita com o coração”. Outra razão para experimentar.

Participe do nosso grupo no WhatsApp e receba em primeira mão nossas novidades, eventos e promoções

Ana Paula Palazi

Ana Paula Palazi

Jornalista, repórter, especialista em jornalismo científico e cachaceira. Atualmente, misturando comunicação, cachaça e percepção pública da C&T num mestrado pela Unicamp

Quer receber no seu e-mail 5 aulas gratuitas sobre cachaça? Assine nossa newsletter exclusiva e durante 5 dias te enviaremos o melhor conteúdo sobre o destilado brasileiro!

Compartilhe esse artigo

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Dadinhos de madeira

Dadinhos de Madeira 1kg – Sem Tosta

Um quilo de dadinhos de madeiras sem tosta para envelhecimento acelerado. As opções de madeiras são: Amburana, Bálsamo, Carvalho, Castanheira, Cumaru, Eucalipto, Ipê, Jaqueira, Jequitibá, Putumujú

Comprar
  • Denys Roberto Lirani
    janeiro 16, 2022 at 10:53 am

    Bom dia vcs tem o curso

    • Mapa da Cachaça
      janeiro 18, 2022 at 4:04 pm

      Oi Denys, temos sim. Vamos entrar em contato com vc

Adicionar um comentário