Tiquira - Aguardente do Brasil - Mapa da Cachaça
Verallia

Tiquira – Aguardente do Brasil

15 de 05 de 2011

A Tiquira é um destilado de mandioca muito popular no Maranhão. Alguns consideram a Tiquira a verdadeira aguardente brasileira por ser feita da mandioca, uma planta nativa.

Tiquira Guaaja

Tiquira Guaaja, uma das poucas tiquiras formalizadas pelo Ministério da Agricultura

Eu infelizmente ainda não conheço o Maranhão. Além da vontade de tirar umas fotos dos belos lençóis maranhenses, uma curiosidade me faz querer visitar quanto antes esse estado brasileiro. Nas minhas pesquisas sobre aguardente, me deparo com a Tiquira – um destilado de mandioca muito popular no estado – que deve ter muitas curiosidades, lendas e histórias, assim como a Cachaça.

Antes da chegada dos portugueses, os índios brasileiros já bebiam um fermentado de mandioca chamado cauim, conhecido também como chicha de yuka e massato pelos povos amazônicos antigos. De acordo com o relato de Hans Staden (1525- 1579) no livro Duas viagens ao Brasil, após o cozimento em grandes panelas, as mulheres mascavam a mandioca, triturando-a com os dentes e enrolando-a no céu da boca. Elas mastigavam a mandioca com bastante saliva, cuspindo tudo num recipiente de barro com água. Aquela mistura fermentava com a ajuda das bactérias presentes na saliva, resultando numa bebida turva, espessa e com o gosto semelhante ao soro de leite.

A bebida era consumida por homens e mulheres durante as festas na tribo, além de fazer parte do ritual canibal, antes dos grandes banquetes. Com a chegada dos europeus, vieram também os alambiques, e o fermentado cauim, após a destilação, virou a aguardente tiquira – originária da palavra tupi Tikira, que significa líquido que goteja.

O destilado é produzido em diversas cidades do Maranhão, sendo bastante popular também em Tianguá, no Ceará. A tiquira é originalmente incolor, mas alguns produtores adicionam folhas ou flores de tangerina durante o processo de destilação, dando uma cor azulada que tende a clarear com o tempo. Infelizmente, o Ministério da Agricultura não reconhece essa prática da destilação com a tangerina, portanto, as marcas hoje formalizadas não têm esse lindo toque azulado na aguardente. Outros produtores informais adicionam um corante tóxico chamado cristal violeta (violeta de metila) que garante um vívido azul-arroxeado à bebida.

Tiquira Informal - com carangueijo dentro

Tiquiras muitos azuladas por corantes ou com caranguejos ou outros bichos imersos não vão matar numa talagada, mas podem trazer uma enorme dor de cabeça no dia seguinte e graves problemas de saúde se consumidas por longos períodos.

Os mais conservadores dizem que a tiquira é a verdadeira aguardente brasileira, já que a mandioca é genuinamente nacional. Para fortalecer essa identidade e proteger esse patrimônio, os produtores do Maranhão estão em busca de uma Indicação Geográfica reconhecida pelo INPI.

Laranjinha Celeste - Aguardente de Cana com folhas de tangerina

A prática da destilação com as folhas ou flores da tangerina também é comum em Paraty, quando vão produzir o destilado chamado localmente de Azuladinha. A aguardente é reconhecida pelo INPI, mas os produtores ainda estão no processo de regularização da bebida junto ao MAPA e ANVISA.

No Brasil, entre as bebidas destiladas da mandioca, apenas a tiquira tem legislação própria. Ela deve ser obtida a partir da destilação do mosto fermentado de mandioca e possuir teor alcoólico entre 38-54%.

A minha motivação para pesquisar cachaça – que é o grande tema do Mapa da Cachaça – é justamente conhecer os costumes e culturas do Brasil. Então, apesar de não ser um destilado de cana, a Tiquira se enquadra no tema da pesquisa, por isso é inevitável que ela apareça outras vezes por aqui.

PUBLICADO POR:

youtube google-plus facebook twitter instagram user filter list