Entre mitos e verdades, cachaças de boa ou má qualidade, só existe um fato cientificamente comprovado: o melhor jeito de prevenir a ressaca é bebendo com responsabilidade.

ressaca depois de beber muito
Ressaca: Dores de cabeça, estômago revirado, tontura e indisposição são apenas alguns dos diversos efeitos causados pelo consumo excessivo de bebidas alcoólicas.

Não adianta, se bebeu demais, o futuro é mais do que certo: veisalgia, popularmente conhecida como ressaca. O exagero seguido pelo mal-estar do dia seguinte é registrado por egípcios, gregos e até mesmo no Antigo Testamento, mas foi a partir do Século 16 que, com a popularização da produção de bebidas com maior teor alcoólico, a ressaca se mostrou, de fato, parte do cotidiano da humanidade.

A grande questão é que, se não quiser ter ressaca, não exagere na bebida. Simples assim. Como a própria etimologia da palavra mostra, veisalgia, nome científico da ressaca, vem da junção da palavra norueguesa kveis (mal-estar após uma orgia) e da palavra grega algós (dor). Ou seja, ressaca é, literalmente, – e não haveria como descrever melhor – a dor e o mal-estar após uma orgia, alcoólica, no caso.

Apesar de já ter mais de 10 mil anos do começo da produção das bebidas alcoólicas, ainda não se conhece um remédio definitivo para a ressaca. Segundo Breno Figueiredo Gomes, diretor da Sociedade Brasileira de Clínica Médica-Regional MG, “a ingestão excessiva de bebidas alcoólicas intoxica o organismo, que precisa eliminar o álcool. O exagero no consumo pode ocasionar desde uma simples ressaca até a morte. A ressaca nada mais é que o organismo tentando se recompor após a agressão sofrida no dia anterior”, e complementa dizendo aquilo que não queremos escutar: o melhor remédio para a ressaca é o tempo.

Mesmo não havendo remédio para o dia seguinte com comprovação científica, algumas atitudes antes e durante a bebedeira podem ajudar a minimizar estes efeitos, enquanto outras popularmente conhecidas são comprovadamente mitos. Beber água, por exemplo, antes e durante a festa, assim como se alimentar direito, ajuda o corpo a se recuperar mais rápido, pois, como explica Breno, “a alimentação antes e durante a bebedeira vai diminuir a ressaca, porque a absorção do álcool vai ser menor”. Apenas a hidratação (por vezes venosa) ajuda a eliminar o etanol do corpo, por isso, repetimos: beba água sempre.

Já métodos como a famosa aspirina ou paracetamol no dia seguinte podem, além de não ajudar, piorar ainda mais a situação do corpo, pois, em conjunto com o estômago e o fígado, já sensíveis pela metabolização e eliminação do álcool, podem causar irritação gástrica e levar até a sangramentos graves, ou intoxicar de vez o fígado e causar complicações. Além disso, a ingestão de alimentos de forma geral ajuda a amenizar os efeitos do dia seguinte, não há um alimento em especial com esta função, como muitos acreditam.

A cachaça de baixa qualidade pode piorar a ressaca?

É fato que algumas cachaças, por serem de baixa qualidade, podem maximizar alguns dos efeitos da ressaca, como a dor de cabeça, pois a forma como são produzidas não eliminam corretamente alguns compostos indesejáveis que causam esses efeitos, como alguns tipos de aldeídos. Além de fazer muito mal no dia seguinte, bebidas destiladas incorretamente podem ter excesso de metanol – um álcool superior que pode causar cegueira ou até matar. Ou seja, a qualidade da cachaça influencia, e muito, nos efeitos do dia posterior e na saúde do consumidor – e esses são os motivos de sermos os maiores entusiastas das cachaças de qualidade. Uma cachaça ruim, ou qualquer bebida alcoólica, produzida de maneira duvidosa, não privilegiando a qualidade, pode trazer consequência desagradáveis. Não apenas a dor de cabeça, mas até o bafo ruim – causado pelo furfural excessivo, estão associados à essa cachaça sem vergonha.

Sem exageros!

O problema é que, mesmo sendo da melhor qualidade possível, a quantidade de álcool bebida versus a quantidade de água ingerida e a comida consumida é que vão fazer sua ressaca ser leve ou daquelas que te faz jurar nunca mais beber uma gota de álcool na vida. Ou seja: o melhor jeito de prevenir a ressaca é, definitivamente, ingerir fermentados ou destilados de qualidade com responsabilidade. Além disso, o consumo consciente de cachaça de qualidade pode trazer alguns benefícios e ajudar a desmistificar a imagem pejorativa que associa cachaça ao consumo exagerado.

Participe do nosso grupo no WhatsApp e receba em primeira mão nossas novidades, eventos e promoções

Mapa da Cachaça

Mapa da Cachaça

O Mapa da Cachaça é uma premiada plataforma multimídia com o objetivo de compartilhar informações sobre a cultura, história, aromas e sabores do destilado brasileiro.

Quer receber no seu e-mail 5 aulas gratuitas sobre cachaça? Assine nossa newsletter exclusiva e durante 5 dias te enviaremos o melhor conteúdo sobre o destilado brasileiro!

Compartilhe esse artigo

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Dadinhos de madeira

Dadinhos de Madeira 1kg – Sem Tosta

Um quilo de dadinhos de madeiras sem tosta para envelhecimento acelerado. As opções de madeiras são: Amburana, Bálsamo, Carvalho, Castanheira, Cumaru, Eucalipto, Ipê, Jaqueira, Jequitibá, Putumujú

Comprar
Dorna de Bálsamo

Dorna de bálsamo para envelhecer cachaça

Quer envelhecer sua própria cachaça, cerveja ou coquetel? Temos a dorna de bálsamo que você precisa para começar seus experimentos.

Comprar
dorna de amburana

Dorna de amburana para envelhecer cachaça

Já pensou em ter sua própria dorna para envelhecer cachaça? Nós fizemos uma seleção dos melhores barris e dornas de amburana para você começar seus experimentos em casa com bebidas  fermentadas e destiladas.

Comprar
  • Antenor Albuquerque
    fevereiro 14, 2015 at 10:54 am

    Olá. Boa matéria. A título de complementação , segundo o Prof. Dr. Leandro Marelli nas suas aulas de metodologia de produção de cachaça de alambique (Esalq/USP) o maior responsável pelas dores de cabeça após consumo de cachaça é o Furfural, que é um aldeído de aroma intenso presente nos destilados. Encontra-se em maior quantidade na cauda e é prejudicial à qualidade do mesmo e à saúde de quem consome. Por isso, o seu teor deve e tem que ser limitado.Abço.

    • Mapa da Cachaça
      fevereiro 16, 2015 at 10:28 am

      Sem contar o bafo característico que a cachaça ruim dá, não é mesmo Antenor. Vamos ficar longe delas. abração

Adicionar um comentário
%d blogueiros gostam disto: