Jiquitaia valoriza a cachaça em nova carta de drinks - Mapa da Cachaça
Verallia

Jiquitaia valoriza a cachaça em nova carta de drinks

12 de 06 de 2019

A nova carta de drinks do Jiquitaia valoriza as raízes brasileiras e conta com 70% de coquetéis feitos com cachaça.

Fachada Jiquitaia

Jiquitaia, fachada criada pelo designer Carlos Bêla

A nova carta de drinks do bar Jiquitaia está de encher os olhos e salivar as papilas de quem aprecia uma boa coquetelaria sem firulas, mas feita com técnica e atenção aos ingredientes nacionais. O restaurante aberto em 2012 por Carolina Corrêa Bastos, a Nina, e seu irmão, o chef Marcelo, valoriza ainda mais a motivação que sempre norteou os donos: representar as raízes brasileiras.

“A nova carta de coquetéis é a cara do Jiquitaia”, conta empolgada Nina Bastos, sócia-proprietária e referência como estudiosa do mundo da cachaça.

A brasilidade está presente em tudo que os irmãos fazem no restaurante. Da decoração das parades à escolha dos recipientes de cerâmica para servir pratos como nhoque de mandioquinha, pato no tucupi, língua defumada, arroz de suã e baião de dois. O próprio nome Jiquitaia faz referência a um mix de pimentas da floresta amazônica, patrimônio dos índios baniwa.

A inspiração em buscar exaltar as raízes brasileira vai inclusive além dos pratos e coquetéis servidos no restaurante e se expande também para a literatura. No final de 2018, em parceria com o sociólogo Carlos Alberto Dória, Marcelo escreveu “A Culinária Caipira da Paulistânia“, um livro sobre histórias e receitas que valorizam a culinária caipira e ingredientes como milho, porco, feijão e galinha.

Destaques do novo cardápio de coquetéis

Para a construção do novo cardápio, Nina pediu que os bartenders Felipe Leite e David Moraes trouxessem uma sugestão de drink que levasse cachaça como base. O resultado foi um menu composto por 70% dos drinks da casa feitos com cachaça

De acordo com Nina, o que tem chamado a atenção dos clientes são o Jamburana, uma bebida refrescante e bem pop, criada em colaboração com Paulo Leite, do Empório Sagarana. Feita com espuma de jambu, com efeito daquela sensação característica de dormência na língua, e que lembra bastante um Moscow Mule. Essa foi uma colaboração com Paulo Leite, do Empório Sagarana. 

coquetel com cachaça Jamburana

Felipe Leite preparando o coquetel Jamburana, que leva espuma de jambu e cachaça. Foto: Estúdio Couve

O Suburbano um drink que se assemelha a um shot feito com cachaça, Cynar e ginger ale e teve como inspiração o Macunaíma, coquetel com cachaça criado pelo Arnaldo Hirai do bar Boca de Ouro, em Pinheiros. O nome foi uma homenagem do bartender David, criador do coquetel, que quis prestar uma homenagem às raízes da periferia de São Paulo.

O Flor da Paraíba é um drink “classudo” feito com Jerez e Serra Limpa,  cachaça armazenada em dornas de freijó e que de acordo com Nina é “profunda e salgadinha”. O coquetel é servido em uma taça coupe, com intuito de lembrar um Dry Martini. “Queria fazer um coquetel elegante com cachaça”, afirma Nina.

Flor da Paraiba, coquetel com cachaça

Um releitura do Dry Martini com cachaça, a Flor da Paraiba. Foto: Estúdio Couve

Por fim, outro que tem chamado atenção é o Do Mato, que tem como base o gin Virga, que não é cachaça, entretanto leva 10% da bendita no seu blend bem brasileiro. A bebida ainda leva capim limão e refrigerante de caju feito no próprio Jiquitaia.

A famosa Caipirinha também segue no menu, bem como outros já clássicos do cardápio do Jiquitaia como o Caju Amigo e Detox. Para esses coquetéis a escolha foi a cachaça produzida no alambique da Princesa Isabel em Linhares no Espírito Santo. A cachaça é uma seleção especial para o Jiquitaia, uma branquinha armazenada por 11 anos e leva o nome do restaurante. 

Caipirinhas limão e caju

As já tradicionais caipirinhas do Jiquitaia levam uma cachaça exclusiva da casa. Foto: Estúdio Couve

Para além dos coquetéis: a carta de cachaças do Jiquitaia

O Jiquitaia é uma referência para quem aprecia uma boa dose de cachaça de alambique para tomar purinha ou harmonizando com cerveja, com os pratos do restaurante ou com as porções servidas no bar. A seleção das cachaças foi feita por Nina Bastos e teve como convidado o especialista Paulo Leite, fundador do Empório Sagarana, um dos bares pioneiros na valorização da cachaça artesanal em São Paulo.

A carta conta com rótulos de diversos cantos do país e de diversos estilos, sabores e madeiras usadas no envelhecimento. Há ainda rótulos inéditos e exclusivos, como a Patrimônio Sagarana, de Pirassununga, uma cachaça de teor alcoólico elevado armazenada por apenas 3 dias em barris novos de bálsamo.

A seleção da dupla é recomendada para experientes degustadores ou para quem quer começar a aprender mais sobre cachaça. A própria descrição das benditas selecionadas é bem direta, didática e bem-humorada. Como sugestão, recomendamos a Gatinha, produzida pelo alambique da Cachaçaria Companheira no Paraná, um blend de cachaça armazenada em tonel de amburana, barris de carvalho europeu, barris de carvalho americano e cachaça prata – um blend leve, saboroso, fácil ou como descreve Paulo Leite: uma cachaça “sexy e delícia”.

 

Informações Gerais

O restaurante e bar Jiquitaia é reconhecido por valorizar as raízes brasileiras na sua coquetelaria e gastronomia, possuindo indicação na categoria Bib Gourmand do Guia Michelin. O local oferece drinks feitos com cachaça e tem destaque pela caipirinha de limão e o caju amigo.
http://jiquitaia.com.br/
Endereço

R. Antônio Carlos, 268 - Consolação, São Paulo - SP

Horário

Restaurante
Segunda: Almoço 12h às 15h
Terça a sexta- Almoço das 12h às 15h, / Jantar das 19h às 23h30
Sábado: Almoço das 12h às 17h / Jantar das 19h às 23h30

Bar
De terça a sábado: das 19h às 2h

Instagram

@jiquitaia

PUBLICADO POR:

youtube google-plus facebook twitter instagram user filter list