Leandro Batista, Rodrigo Oliveira, Erwin Weimann, Maurício Maia e Delfino Golfeto participam do Ranking de Cachaça da Veja de 2010. Reportagem do dia 17 de Fevereiro de 2010, escrita por Anna Paula Buchalla.

Por definição, a cachaça é a aguardente de cana que possui teor alcoólico entre 38% e 48%. Ela pode ser classificada como branca – em geral, engarrafada logo depois de produzida – ou envelhecida, com cor, aroma e sabor alternados pelo armazenamento em barris de madeira por um ano, no mínimo. A envelhecida pode ou não ser misturada a uma medida de destilado recém-produzido. Quando isso não acontece, ela recebe a qualificação premium ou extra-premium (se passa mais de três anos armazenada).

Já ainda a adoçada, com concentrações de açúcar superiores a 6 gramas por litro. Como existem mais de 4 mil marcas de cachaça produzidas de norte a sul do país, VEJA convidou seis especialistas para estabelecer um ranking das melhores, divididas entre brancas e envelhecidas. Cada jurado enviou uma lista com dez sugestões de sua preferência por categoria. Do cruzamento das listas, chegou-se às cinco melhores em cada uma delas. Todas foram degustadas e avaliadas com notas de zero a 10 no restaurante Motocó, em São Paulo.

Leandro Batista e Rodrigo Oliveira na Veja

O ranking Veja 2010:

RANKING DAS CACHAÇAS BRANCAS:

Empatados em 1º lugar:

Volúpia e Serra Limpa: nota: 5,5

2º Coqueiro: nota: 5

3º Santo Grau Paraty: nota: 4,5

4º Serra Preta: nota: 4

RANKING DAS CACHAÇAS ENVELHECIDAS:

1º Anísio Santiago: nota: 9

2º Canarinha: nota: 7,5

3º Vale Verde: nota: 7

4º Nega Fulô Carvalho: nota: 6,5

5º Armazém Vieira Porto Nossa Senhora do Desterro: nota: 6

Participe do nosso grupo no WhatsApp e receba em primeira mão nossas novidades, eventos e promoções

Mapa da Cachaça

Mapa da Cachaça

O Mapa da Cachaça é uma premiada plataforma multimídia com o objetivo de compartilhar informações sobre a cultura, história, aromas e sabores do destilado brasileiro.

Quer receber no seu e-mail 5 aulas gratuitas sobre cachaça? Assine nossa newsletter exclusiva e durante 5 dias te enviaremos o melhor conteúdo sobre o destilado brasileiro!

Compartilhe esse artigo

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Dorna de Bálsamo

Dorna de bálsamo para envelhecer cachaça

Quer envelhecer sua própria cachaça, cerveja ou coquetel? Temos a dorna de bálsamo que você precisa para começar seus experimentos.

Comprar
Dadinhos de madeira

Dadinhos de Madeira 1kg – Sem Tosta

Um quilo de dadinhos de madeiras sem tosta para envelhecimento acelerado. As opções de madeiras são: Amburana, Bálsamo, Carvalho, Castanheira, Cumaru, Eucalipto, Ipê, Jaqueira, Jequitibá, Putumujú

Comprar
dorna de amburana

Dorna de amburana para envelhecer cachaça

Já pensou em ter sua própria dorna para envelhecer cachaça? Nós fizemos uma seleção dos melhores barris e dornas de amburana para você começar seus experimentos em casa com bebidas  fermentadas e destiladas.

Comprar
  • Flavio Teixeira
    dezembro 20, 2011 at 5:02 pm

    Das cachaças brancas eu não sou muito conhecedor.
    Mas das envelhecidas eu acrescentaria outras.
    Acho que a Armazem Vieira e a Nega Fulô
    (que deveriam estar na categoria de industrializadas e não junto das artesanais),
    gosto destas também e acrescentaria nesta linha a cachaça LEBLON.
    Opções das envelhecidas:
    30 Luas (RS), Bodocó (MG), Caminho Velho (MG), Furadinha (MG).

    Lembrem-se cachaça é para degustar e não para entornar. Apreciem com moderação.
    Abç, Tex.

    • Gabriela Barreto
      janeiro 4, 2012 at 1:44 pm

      Olá Flávio! Legal saber que você tem as suas favoritas também! Se possível, faça o cadastro dessas cachaças lá no http://www.guia.mapadacachaca.com.br Seria muito legal contarmos com informações sobre essas cachaças apreciadas pelos nossos leitores por lá! Abs

  • Luiz Ricardo
    setembro 25, 2013 at 4:24 pm

    Olá pessoal do Mapa das Cachaças.

    Bom vamos lá, já a algum tempo venho sendo leitor desse maravilhoso site e o considero como o melhor nesta área. Tenho 49 anos e a mais de 20 aprecio degustar uma ótima cachaças, não me considero uma excelência, mais acredito ser um profundo conhecedor.
    A alguns anos quando a revista PlayBoy lançou seu primeiro ranking de cachaças, como eu já conhecia todas as listadas e algumas outras e não pude concordar totalmente com o mesmo, achei que faltaram algumas e outras não deveriam figurar na no ranking, não que essas cachaças não fossem boas, mais sabia da existência de outras muito melhores.
    O tempo foi passando e outros ranking além dos da Playboy foram surgindo e continuei não concordando totalmente com os mesmos, a presença de algumas e a falta de outras me levaram a tentar entender o que estava ocorrendo, será que meu paladar era tão diferente!! Não creditando que tivesse um paladar tão diferenciado resolvi tirar minhas duvidas, todas as vezes que estava com amigos que apreciam essa maravilha, fiz um teste cego, onde colocava uma das cachaça que eu entendia que não deveria estar no ranking e uma outra que acreditava que deveria estar e para surpresa desses meus amigo e não minha, quase sempre o resultado era favorável a cachaça que eu havia escolhido.
    Neste momento foi que minhas duvidas aumentaram, pois a diferença não estava em meu paladar pelos resultados que encontrei, em algum outro motivo, resolvi então analisar os ranking e descobri que as cachaças listadas nos ranking eram basicamente sempre as mesmas, mudava uma ou outra cachaça e sempre os nomes que apareciam eram só de cachaças mais conhecidas e não das melhores, porém depois de muito pensar eu descobri o motivo. O problema não esta nos achei isso muito estranho resolvi então verificar em minhas analises acredito ter descoberto o motivo. O problema não estava nos degustadores que fizeram o ranking, mas na falta de conhecimento de um universo maior de nossa cachacinha amada, comecei a verificar nas matérias as indicações de onde beber as mesmas e resolvi visitar os bares e outras casa que eu ainda não conhecia e em todos esses lugares percebi que os cardápios são praticamente iguais, nada de novo ou diferente, alguns com 70, 80 cachaças em seu cardápio, outros 130, 150 mais sempre algo muito parecido.
    Por isso resolvi escrever esse longo texto para tentar colaborar com um futuro ranking, que mesmo que seja igual aos que já foram feitos, que tenham basicamente a mesmas cachaças, será mais realista, pois serão degustadas um universo muito maior cachaças, para que isso ocorra os degustadores deveriam frequentar casas que tenham um cardápio mais diversificado saindo da mesmice, algo mais extenso e que tenha cachaças de varrias áreas do pais, deixo como sugestão o maior cardápio que conheço que é o do Gogó da Ema na região do Morumbi em São Paulo, com mais de 900 rótulos diferentes.

    Um grande abraço a todos.

    • Mapa da Cachaça
      setembro 25, 2013 at 4:33 pm

      Obrigado pelo comentário, Luis. Acho que vc tem toda a razão. Nas nossas próprias analises aqui entendemos que tem muita cachaça boa que não foi contemplada. O ranking da Playboy é mais um Top of Mind, ou seja, aparecem as marcas que são lembradas, que possuem tradição ou um bom marketing, mas não necessariamente são as melhores. Pensando nisso, aqui no Mapa da Cachaça estamos elaborando um ranking isento, profissional e contemplando muitas marcas. Agradeço a sua mensagem e aguarde novidades. Vamos manter contato. grande abraço

  • Rita
    março 8, 2017 at 4:11 pm

    right after you got it to "just do it8qIuot;&#!230;&t is so worth it. You'll learn from doing. I believe you said something similar to me recently too… I hope to see your shots soon!XOAndreagreat shoes too!

Adicionar um comentário
%d blogueiros gostam disto: