Carlos Alberto Doria rompe com teorias sobre a culinária brasileira em novo livro
Verallia

Carlos Alberto Doria rompe com teorias sobre a culinária brasileira em novo livro

29 de 04 de 2015

carlos alberto doria

Um conjunto de reflexões sobre a culinária brasileira – talvez esta definição seja muito resumida perto da real representatividade do novo livro do sociólogo Carlos Alberto Doria, um dos pensadores centrais do assunto no país. O livro Formação da Culinária Brasileira – Escritos sobre a cozinha inzoneira, lançado pela editora Três Estrelas e quarto título de Dória, reúne sete ensaios, tendo sua origem no primeiro deles, originalmente escrito em 2008, transformado em livro pela Publifolha no ano seguinte. Os outros seis, quase todos inéditos, foram escritos a partir de textos do blog e-Boca Livre, e propõe novas teorias para compreender a culinária nacional, desconstruindo outras até então consolidadas e emitindo opinião sem receio sobre temas que vão do frango de granja ao legado de Ferran Adrià, passando pelo jornalismo gastronômico, salmão chileno e comida de rua.

“O modelo de produção intelectual em relação à culinária ainda é frágil no Brasil, sem universidades engajadas nisso e, quando há, fica restrito à história. Temos que revolver conceitos e encarar a nossa cozinha sem ser pelas óticas deixadas por Gilberto Freyre e Câmara Cascudo. Existem problemas novos para serem pesquisados. Não temos levantamento sistemático da culinária como na França, que serve de base para intelectuais e cozinheiros. Eu, por exemplo, tenho muita dificuldade para conseguir dados”, afirma Dória.

Como o próprio autor cita em entrevista à Univesp TV, segundo o mais importante antropólogo brasileiro, Darcy Ribeiro, uma teoria não dura mais que 20, 30 anos, e é nisso que se apoia Dória: as teorias sobre a culinária brasileira são muito antigas, os estudos etnográficos e as bases de pesquisa avançaram muito nos últimos anos, e é por isso que precisamos enxergar nossa culinária com outros olhos. Entrevista esta, aliás, que você pode assistir abaixo:

Sobre a nova culinária brasileira e sobre o que falta para que tenhamos, de fato, uma gastronomia nacional, ele, que é apreciador de trabalhos desenvolvidos por chefs como Alex Atala (D.O.M., SP), Helena Rizzo (Maní, SP), Rodrigo Oliveira (Esquina Mocotó, SP) e Roberta Sudbrack (RJ), conta que acha a culinária “brasileira renovada”, como costuma chamar, já é significativamente interessante, porém, que falta ser popularizada e disseminada. Para ele, “Ela é prisioneira do público de alta renda, burguês. (…) Acredito que tudo o que fazem hoje chefs como Alex, Helena e Felipe Rameh servirá de modelo para uma próxima rodada, com restaurantes mais simples. Quando isso transbordar dos limites de classe, aí sim teremos um reecantamento”.

Serviço

doria - capa livro

 Livro: Formação da Culinária Brasileira – Escritos sobre a cozinha inzoneira

 Autor: Carlos Alberto Doria

 Editora: Três Estrelas

 Ano: 2014

 

PUBLICADO POR:

youtube google-plus facebook twitter instagram user filter list