Exposição de Rótulos de Cachaça no Instituto Tomie Ohtake - Mapa da Cachaça
Verallia

Exposição de Rótulos de Cachaça no Instituto Tomie Ohtake

11 de 02 de 2011

Carinhosamente Engarrafada

A equipe do Mapa da Cachaça esteve na exposição de rótulos de cachaça chamada “Carinhosamente engarrafada” no Instituto Tomie Ohtake em São Paulo. Os rótulos expostos pertencem ao designer gráfico e pesquisador carioca Egeu Laus e à Fundação Joaquim Nabuco, centro de estudos sociais dedicado à cultura nordestina.

A curadoria e produção separou os mais de 400 rótulos por temáticas como: humor, pin-ups, figuras indígenas, paisagens e lugares. Foi interessante perceber que mesmo em cidades muito distantes, os desenhos repetiam diversas semelhanças como temas, traços e cores.

Além dos rótulos, estavam expostas algumas pedras litográficas que eram usadas para a impressão dos exemplares nas décadas de 1950 e 1960. O uso dessa ferramenta para a impressão dos rótulos justifica a presença constante das cores vermelho, amarelo, preto e azul nas ilustrações.

O principal motivo da exposição é justamente identificar nos rótulos um design brasileiro, com toda a sua simplicidade, até mesmo ingenuidade, mas ainda com elementos marcantes que seduzem o consumidor e traduzem a alegria do povo brasileiro. A maioria dos rótulos ali presentes não apresentavam compromissos declarados com estratégias de mercado e assumem uma identidade do homem do campo e do seu cotidiano.

Para trazer essas análises e elevar uma identidade nacional, na última quinta os pesquisadores Ronald Kapaz, Milton Cipis e o próprio Egeu Laus ministraram uma mesa-redonda, abrindo posteriormente para perguntas.

Egeu Laus, Milton Cipis e Ronal Kapaz - Carinhosamente Engarrafada

Palestra Tomie Ohtake - Rótulos de Cachaça

Quando começamos a trabalhar com o projeto Mapa da Cachaça sabíamos que estávamos entrando num tema muito complexo e rico. As ilustrações presentes nos rótulos das cachaças exemplificam essa imensidão de dados e estórias sobre o povo brasileiro. Com o objetivo maior de compreender mais a nossa cultura e história, o Mapa da Cachaça ainda abordará muito esse assunto que estampa as garrafas da bebida.

Deixamos abaixo as histórias de dois rótulos. O primeiro é sobre o sonho da produtora Maria Izabel que originou o rótulo da sua cachaça. O segundo é um depoimento da pesquisadora Alessandra Trindade que fala como um erro da gráfica foi decisivo para a criação do nome e rótulo da Cachaça Canarinho.

Carinhosamente Engarrafada
Terça a domingo, das 11h às 20h. Até 10 de abril
Instituto Tomie Ohtake – Av. Faria Lima, 201, Pinheiros. São Paulo
Grátis
Informações: (0xx11) 2245-1900
www.institutotomieohtake.org.br

O Sonho de Maria Izabel

O Rótulo da Cachaça Canarinho

Fotos no Instituto Tomie Ohtake
Rótulos de Cachaça - Tomie Ohtake

Rótulos de Cachaça - Tomie Ohtake
Rótulo Cachaça - Tomie Ohtake - Paisagem
Carinhosamente Engarrafada - Rótulos de Cachaça no Instito Tomie Ohtake
Egeu Laus - Carinhosamente Engarrafada - Tomie Ohtake
Rótulos de Cachaça - Carinhosamente Engarrafada - Tomie Ohtake - Humor

Anúncios

PUBLICADO POR:

Comentários

  1. Gilberto

    fevereiro 14, 2011

    Muito legal essa matéria: texto, fotos e video. Parabéns para a equipe.

  2. mapadacachaca

    fevereiro 16, 2011

    Obrigado pelo elogio! abração

  3. […] a equipe de reportagem também visita o Instituto Tomie Ohtake e mostra a exposição de rótulos “Carinhosamente Engarrafada“. Para os fãs de design e cachaça que querem ver conhecer mais sobre essas artes que […]

  4. […] que aconteceu no início desse ano de 2011 no Instituto Thomie Ohtake, em São Paulo (saiba mais nesse post do Mapa). Como disseram os palestrantes na ocasião de lançamento da expo, “há muita coisa nova que nem […]

  5. marcus duarte

    julho 2, 2011

    gostaria de receber imagem de rotulos de humor.

  6. mapadacachaca

    julho 4, 2011

    Olá Marcus, nós estamos ainda procurando rótulos de humor para colocarmos no site. Ainda não temos rótulos digitalizados em boa qualidade. Mas é um projeto futuro que queremos incorporar no MdC. grande abraço

  7. lo monaco giuseppe

    julho 27, 2011

    Sou um italiano que emigrou no Brasil em 1954 aos 7 anos de idade portanto cresci com escolas e educacao completamente brasileiras, fiz algumas proficoes e enfim resolvi estudar desenho tecnico publicitario em Sao Paulo, logo apòs empreguei- me em uma litografia da cidade onde morava, em Jundiaì a norte oeste da capital, depois de um certo periodo o dona da litografia decidiu que enfim aprendi o bastante com as impressoras e podia comecar a desenhar para a mesma. foi nesta ocasiao que trabalhava com um desenhista japones proficional e o qual devo muito da minha bravura. Pois junto com ele faziamos a criacao de novos rotulos e também melhorar os rotulos que eram feitos sobre pedras de gesso, melhorar mas nao mudar o aspecto original. Agora o motivo que estou escrevendo é que fomos nos, eu e o japones que se chamava Iuda Thoey em desenhar o rotulo Velho Barreiro, a inspiracao do personagem desenhado no rotulo e certa, isto e, naquela ocasiao eu trouce da minha casa uma revista italiana chamada “Domenica del Corriere” que meu pai mandava vir da Italia, dentro era publicada a vida de Leonardo da Vinci com a ilustracao dele quando era anciao dai o acostamento de um velho e o nome “Velho Barreiro” o qual nos deviamos ispirar a comclusao foi imediata. Naquele tempo é natural que nao tinha os computadores e o trabalho era feito com as maos, tira linhas, compasso, regra e capacidade em desenhar a mao livre, o rotulo foi desenhado em escala natural 1:1, com nanchim e separacao de cores, a litografia chamava-se Araguaia e eram cerca dos anos 67 – 68, o nosso trabalho era de normal routine como muitos outros.
    Em 1978 voltei para a Italia e depois de 25 anos voltei como turista no Brasil, assim soube que aquela litografia faleceu devido à morte do dono e provavelmente com a chegada dos computadores, mas a minha satisfacao é que eu via em todos lugares a famosa “Velho Barreiro”, pois pensava que tinha feito o seu tempo e nao esistia mais, por brincadeira dizia para algum amigo quem era aquele velho dando resposta negativa ou errada e se surpreendiam quando dizia que era Leonardo da Vinci.
    Hoje eu moro na Sicilia em San Cataldo e com uma constante saudade da minha juventude passada no Brasil, por acaso escrevi a frase quem desenhou o rotulo descobrindo este site que diz autor desconhecido, neste caso é corretto dizer “autores” e que sao Iuda Thoey e Giuseppe Lo Monaco.
    Estou escrevendo porque fui incentivado por minha familia eque enfim seja esclarecida este pequeno veu de misterio.
    Se tiverem outras perguntas serei feliz em responder.
    Cordialmente Lo Monaco Giuseppe

  8. […] No ano passado estivemos na mesma exposição aqui em São Paulo, no Instituto Tomie Ohtake, e tiramos muitas fotos. Recomendamos muito a visita! O idealizador da exposição é o estudioso e designer, Egeu Laus.Os […]

  9. neusa pires

    março 9, 2012

    mais dados sob.o item 07 rotulo velho barreiro e E-mail da pessoa
    Sr Giuseppe Lo Monaco que escreveu.

  10. neusa pires

    março 9, 2012

    Gostaria de entrar contato autor do rotulo Sr Giuseppe Lo Monaco

Seleção de Cachaças

youtube google-plus facebook twitter instagram user filter list