Luis Alves - Capital da Cachaça de Santa Catarina

A produção de aguardente de cana artesanal em Santa Catarina começou com a colonização açoriana no litoral, em cidades como Laguna e Araranguá, e se intensificou com a chegada de europeus à região do Vale do Itajaí, com destaque para Luis Alves, cidade que chegou a ostentar o título de Capital Nacional da Cachaça.

Acompanhe a série Territórios da Cachaça e descubra mais sobre os principais pólos de produção de cachaça. No artigo apresentamos o território de Luis Alves.

Breve histórico da cachaça em Luis Alves

A tradição em Luis Alves de produzir aguardente de cana destilada em alambiques de cobre começou na década de 1930 com famílias alemãs, holandesas e italianas. O cultivo da cana destinava-se principalmente à produção do melado e, com seu excedente, era feito o destilado.

Apesar de a legislação de 2005 estabelecer que cachaça deve ser produzida apenas a partir do mosto fermentado do caldo de cana-de-açúcar, a tradição e a preferência dos consumidores da região condicionaram os fabricantes do estado a priorizarem a aguardente feita a partir do melado – mesmo que esse tipo de manufatura seja mais trabalhoso, mais caro e sem respaldo da legislação. A cachaça feita do caldo de cana é também elaborada pelos alambiques locais, mas corresponde apenas a 30% do volume de produção.

Em meados do século passado, o cultivo de cana-de-açúcar era atividade importante em Santa Catarina, quando muitos pequenos agricultores fabricavam açúcar mascavo, melado e cachaça e vendiam cana para a Usati, maior usina refinadora de açúcar do Sul do país, responsável nos anos 1980 pela fabricação de quase meio milhão de toneladas de açúcar por ano. Mas os incentivos para a industrialização do etanol em grandes usinas com o Proálcool no fim da década de 1970 e a forte concorrência no preço do açúcar do Sudeste e do Nordeste fizeram com que o cultivo de cana se tornasse atividade cara para os produtores de Santa Catarina, e a cultura de açúcar, melado e cachaça foi sendo substituída por outras mais lucrativas. Atualmente, Luis Alves é o segundo maior produtor de banana do estado, mas a cachaça continua sendo seu principal produto turístico.

O fim do ciclo do açúcar no estado e a concorrência com cachaças mais baratas vindas de outras regiões influenciaram a produção catarinense. Luis Alves, que na década de 1960 tinha cem alambiques, hoje tem em torno de dez em atividade, sendo apenas dois com relevância nacional. Já São Pedro de Alcântara, cidade a 32 km de Florianópolis e com muita tradição em fabricação de aguardente, tinha cinquenta alambiques nos anos 1960 e hoje conta com apenas dez, sendo a maioria produtores informais. O evento bienal Fenaca (Festa Nacional da Cachaça), realizado pela prefeitura de Luis Alves, tem como objetivo resgatar essa tradição e importante atividade econômica local, mas quase esquecida em âmbito nacional.

Característica de produção do território de Luis Alves

A matéria-prima é o destaque na produção da aguardente de Luis Alves, algo que se repete em outros alambiques catarinenses. O melado produzido a partir da variedade de cana chamada havaiana é levado para a fermentação, não o caldo fresco de cana. Os pequenos produtores continuam fermentando com leveduras selvagens, sendo a prática do uso de leveduras selecionadas ainda pouco difundida. Após a destilação, a aguardente é envelhecida por muitos anos em barris de carvalho europeu.

Teor alcoólico: 38-42% (ameno)

Cores: cores branca e amarelada (caramelo, âmbar),

Famílias aromáticas: adocicada (melado, baunilha, caramelo), frutada (banana), torrados (toffe), castanhas (chocolate, amêndoa)

Felipe Jannuzzi

Felipe Jannuzzi

Felipe é um dos criadores do Mapa da Cachaça. Viajou o Brasil visitando produtores e trabalha para a valorização da cachaça no mundo. Além do Mapa da Cachaça também é sócio da Ethylica e da Espíritos Brasileiros.

Quer receber no seu e-mail 5 aulas gratuitas sobre cachaça? Assine nossa newsletter exclusiva e durante 5 dias te enviaremos o melhor conteúdo sobre o destilado brasileiro!

Compartilhe esse artigo

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • Adicionar um comentário

    Já se inscreveu no Mapa da cachaça?

    40 mil já fazem parte da nossa comunidade.

    Se inscreva agora e receba no seu e-mail o melhor do Mapa da Cachaça