Rótulo da Cachaça Encantos da Marquesa - Mapa da Cachaça
Verallia

Rótulo da Cachaça Encantos da Marquesa

04 de 07 de 2012

Análise do rótulo da cachaça Encantos da Maquesa – Indaiabira – MG

Projeto: Identidade visual e rótulo para cachaça Encantos da Marquesa
Ano de criação: 2012
Designer: André Gonzales, Brasília, 1982
Técnica de ilustração: Ilustração Vetorial
Técnica de impressão: Flexografia

Rótulo da Cachaça Encantos da Marquesa - Branca

A fazenda Marquesa fica na cidade de Indaiabira-MG, microrregião de Salinas, foi comprada em 2009 por Eduardo Martins, apaixonado por vinhos, e pesquisador da área ambiental, por duas vezes presidente do Ibama. O alambique já existia na fazenda e os sócios investiram no aprimoramento do processo de fabricação de cachaça com mais qualidade e produzida com o padrão orgânico.

Criaram um blendde cachaça branca tão inovador, que fica difícil de encaixar nos padrões de classificação atuais – um dos conceitos trazidos da produção de vinhos. Outro conceito trazido do universo dos vinhos é a identificação da safra no rótulo da cachaça, pratica ainda pouco comum no setor da aguardente de cana. Além do trabalho com as variedades da cana java branca, amarela e preta, a cachaça [cachaca id=”5701″]Encantos da Marquesa[/cachaca] é produzida com diversos cuidados que incluem a base orgânica do canavial, o uso da água de chuva para eliminar a presença de metais na destilação, a colheita manual e o uso de transporte por animais, a renovação sistemática do fermento, e ainda, a destilação cuidadosa em alambiques de cobre de pequeno porte.

O rótulo da cachaça Encantos da Marquesa traz fortes elementos da cultura popular brasileira: a simplicidade da linguagem remetendo à xilogravura – técnica de impressão na qual se utiliza a madeira esculpida como matriz e a tipografia manuscrita. A xilogravura é a técnica de gravura famosa por ilustrar os folhetos de cordel (poemas impressos que ganhou o nome de cordel pois eram expostos pendurados em cordóes ou cordéis nas feiras em Portugal).

Literatura de Cordel é referência para rótulo de cachaça

O xilogravurista mais conhecido é o pernambucano de Bezerros, J. Borges, que começou a ilustrar seus poemas pois não tinha recursos para contratar um ilustrador. Hoje tem reconhecimento internacional: J. Borges foi condecorado com a Ordem do Mérito pelo presidente Fernando Henrique e recebeu prêmio da UNESCO na categoria Ação Educativa/Cultural. Em 2002, foi um dos treze artistas escolhidos para ilustrar o calendário anual da ONU. O escritor pernambucano Ariano Suassuna o considera o melhor gravador popular do Nordeste. Veja a abertura da Novela Roque Santeiro, versão censurada, de sua autoria.

A ilustração é a humanização da Marquesa, nome da fazenda, a figura feminina coroada com um coração lembra uma personagem de literatura de cordel. As cores foram escolhidas referênciando o processo produtivo: o marrom da madeira, o branco e o azul valorizando a cachaça branca. A tipografia feita à mão pelo designer Andre Gonzales, remete a algo feminino, delicado e de forte personalidade.

Andre Gonzales, é também vocalista da banda Móveis Coloniais de Acaju, já demonstra ser excelente designer nos clipes da banda, sempre de estética impecável. Além disso demonstra entender bastante de cachaça, conhecimento fundamental na elaboração certeira do rótulo: filho do produtor, conhece bem o alambique e o processo de fabricação da cachaça. Belo e singelo, o rótulo da Encantos da Marquesa mais uma vez exemplo da diversidade de temas e linguagens possíveis no universo da cachaça.

Com a colaboração de Johnny Brito

PUBLICADO POR:

youtube google-plus facebook twitter instagram user filter list