Museu da Cachaça_tupa
Museu da Cachaça de Tupã em São Paulo

Em Tupã, interior de São Paulo, na região de Marília, é possível conhecer um pouco mais sobre a história da cachaça. No Museu da Cachaça da Cidade, quase 1.000² destinados à história e dados curiosos, peças de engenho, garrafas e a coleção particular de cachaças, com algumas raridades, de Delfino Golfeto, empresário do setor cachaceiro, fundador e mantenedor do espaço.

Para o empresario, a importância do museu está na história da bebida, que se confunde com a do nosso país. “A bebida foi criada pelos escravos, que não tinham acesso a outros destilados, por puro acidente: eles estavam manipulando a cana no preparo do açúcar. Era costume que os escravos separassem, sem que seus senhores soubessem, uma parte da produção para consumo nas senzalas. Porém, por um descuido, a ‘massa da cana’ fermentou e virou cachaça”, comenta.

O espaço é dividido em quatro ambientes principais:

Sala 1: “A história da cachaça” – Nesta sala, o visitante poderá ler réplicas de cartas do período no qual o Brasil viveu a escravatura. Painéis cronológicos contam a história da cachaça. Fotos, reportagens, curiosas, garrafas de cachaça e parte da coleção de Golfeto estão dispostos para que os visitantes mergulhem na história. No Cantinho Colonial, há peças utilizadas nos engenhos na época do Brasil Colônia.

Sala 2: “Coleção de Cachaças” – À vista do visitante, estão dispostas mais de duas mil garrafas de cachaças, boa parte delas são raras.

Sala 3: “História da Água Doce – Sabores do Brasil” – Esta sala conta toda a história da Água Doce desde sua fundação, passando por suas convenções e mostrando suas lojas. A sala conta, paralelamente, a história do fundador da Água, Delfino Golfeto, e de sua família.

Sala 4: “Paixões Nacionais” – Futebol e samba são alguns dos temas mostrados nesta sala. Neste espaço, também estão contidos painéis fotográficos, coleção de camisetas, mini-garrafas e acervo de peças antigas. É aqui também que Delfino Golfeto presta homenagem a uma das pessoas que o ajudaram e o incentivaram, ‘Dona Francisca’, sua sogra, responsável pela introdução dos deliciosos petiscos servidos por toda a rede.

Museu da Cachaça – Tupã (SP)

Endereço: Rua Nhambiquaras, 385 – Vila Aviação – Tupã – SP

Horário de funcionamento: de segunda a sábado, das 9h às 12h e das 14h às 17h30

As visitas são gratuitas, mas precisam ser agendadas com antecedência.

Telefones para informações e agendamento de visitas: (14) 3491-5691/3441-2321 / 3441-4337

Participe do nosso grupo no WhatsApp e receba em primeira mão nossas novidades, eventos e promoções

Mapa da Cachaça

Mapa da Cachaça

O Mapa da Cachaça é uma premiada plataforma multimídia com o objetivo de compartilhar informações sobre a cultura, história, aromas e sabores do destilado brasileiro.

Quer receber no seu e-mail 5 aulas gratuitas sobre cachaça? Assine nossa newsletter exclusiva e durante 5 dias te enviaremos o melhor conteúdo sobre o destilado brasileiro!

Compartilhe esse artigo

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Dadinhos de madeira

Dadinhos de Madeira 1kg – Sem Tosta

Um quilo de dadinhos de madeiras sem tosta para envelhecimento acelerado. As opções de madeiras são: Amburana, Bálsamo, Carvalho, Castanheira, Cumaru, Eucalipto, Ipê, Jaqueira, Jequitibá, Putumujú

Comprar
Dorna de Bálsamo

Dorna de bálsamo para envelhecer cachaça

Quer envelhecer sua própria cachaça, cerveja ou coquetel? Temos a dorna de bálsamo que você precisa para começar seus experimentos.

Comprar
barril de balsamo

Barril de bálsamo para envelhecer cachaça

Compre barril de bálsamo para envelhecer bebidas e agregar novas cores, aromas e sabores ao seu destilado (cachaça, rum, uísque), cerveja ou coquetel.

Comprar
  • Janete
    julho 8, 2015 at 10:06 pm

    Parabéns pelas informações sobre cachaça.

  • Elisa
    setembro 1, 2015 at 8:07 pm

    Olá!
    O teor da pinga é opcional do fabricante ou se tem alguma lei?

    • Mapa da Cachaça
      setembro 3, 2015 at 8:53 pm

      Elisa, para ser chamada de cachaça o teor alcoólico deve ir de 38% a 48%

Adicionar um comentário
%d blogueiros gostam disto: