Dornas para envelhecer cachaça

Entenda mais sobre a arte do envelhecimento da cachaça em barris de carvalho e em madeiras brasileiras, como o jequitibá-branco, amburana, bálsamo e ariribá.

A maturação de bebidas alcoólicas em madeira é uma arte praticada há mais de 2 mil anos. A princípio, vasilhas de madeira serviam para transportar e conservar a bebida, mas, quando se deu o entendimento de que esse recipiente poderia agregar sabores diferenciados e muito apreciados aos fermentados e destilados, a prática se tornou comum no processo de produção de bebidas alcoólicas. Por meio dela, é possível aumentar ainda mais a percepção de aromas e sabores da cachaça, representando em muitos casos mais de 65% de suas características sensoriais. Um destilado que já é muito apreciado na sua versão pura, sem madeira, pode ganhar valor econômico e sensorial após passar por barris ou dornas.

Após a destilação, não é obrigatório, mas a cachaça pode maturar em tanques de aço inoxidável ou, segundo as normas, ser armazenada ou envelhecida em barris de madeira.

Cachaça e tanques de inox

A maioria das cachaças comercializadas descansam por pelo menos três meses em tanques de aço inox. Além de os tanques funcionarem como recipientes de estocagem, esse período dentro deles contribui para a oxidação de alguns compostos, principalmente o acetaldeído, melhorando a qualidade sensorial da cachaça.

Dornas de inox

No entanto, armazenar ou envelhecer cachaça em barris de madeira modifica intencional e consideravelmente as características do destilado, dependendo de fatores determinantes, como qualidade e teor alcoólico do destilado, tamanho do barril, tipo de madeira e estado de conservação do barril ou até mesmo se ele passou por tosta, período de envelhecimento e condições ambientais da adega.

Cachaça armazenada em dornas de madeira

A cachaça armazenada é maturada por tempo indeterminado em barril de qualquer tamanho. Geralmente são barris de grande porte (10 mil litros) feitos de madeiras que interferem pouco nas cores e nos sabores do destilado.

Regiões produtoras tradicionais como Minas Gerais, São Paulo e Paraíba são famosas por suas cachaças armazenadas em dornas de grande porte feitas de madeiras nativas, entre elas amendoim, freijó e jequitibá-branco. Em virtude da facilidade de extração desse material e da falta de recursos e de acesso aos recipientes de inox, a produção de dornas de madeira se popularizou nessas regiões. As madeiras nacionais se mostraram ideais para armazenamento graças a sua resistência, baixa porosidade (reduzindo evaporação) e baixa capacidade de interferir sensorialmente na bebida, mantendo as principais características da cachaça pura.

Transportando barril para envelhecer cachaça

Cachaça envelhecida em barris de madeira

Para a cachaça ser considerada envelhecida, 50% do seu volume engarrafado deve maturar por pelo menos um ano em barril de, no máximo, 700 litros. A maioria das cachaças envelhecidas passam por carvalho americano ou europeu anteriormente utilizados para o processo de envelhecimento de uísques. As madeiras brasileiras contribuem em menor proporção em blends com carvalho, entre elas temos principalmente a amburana e bálsamo. É tradicional de algumas regiões também o envelhecimento de cachaça somente em madeiras nativas, como o bálsamo em Salinas, no norte de Minas Gerais.

De acordo com o tempo de maturação em barris e dornas de madeira que podemos classificar a cachaça como prata, ouro, premium, extra-premium ou reserva especial. Para entender mais detalhes sobre essas classificações veja nosso guia para os tipos de cachaça.

Apesar do incrível potencial das madeiras usadas para envelhecer cachaça em destacar nosso destilado no mercado mundial temos também que considerar um grave problema que aflige o mercado de produção: o risco eminente de extinção das principais madeiras usadas no processo de produção da aguardente brasileira.

Madeiras em extinção

O que acontece durante o processo de envelhecimento da cachaça?

Durante a maturação, o álcool extrai compostos da madeira, e o oxigênio que circula pelas porosidades do barril contribui para a formação de ácidos, ésteres e aldeídos que modificam a bebida. Enquanto outros destilados são envelhecidos em barris de carvalho europeu ou americano, a cachaça se diferencia porque pode passar por esse processo em mais de quarenta espécies de madeiras nacionais, tais como jequitibá-rosa, jequitibá-branco, bálsamo, amendoim, ipê, amburana, grápia, ariribá, jatobá, freijó e canela-sassafrás, o que traz identidade e autenticidade ao destilado nacional.

Barril de carvalho ex-whisky

A tosta do barril de cachaça

A tosta interna do barril é um procedimento comum nas maiores tanoarias do mundo, que utilizam o carvalho para fabricar barris para envelhecer fermentados e destilados. A prática tem o objetivo de degradar compostos indesejáveis da madeira e gerar moléculas aromáticas que agregam qualidade às bebidas, além de “rejuvenescer” barris exauridos após muitos anos de uso. Ainda é pouco comum no envelhecimento de cachaças, mas alguns mestres de adega estão promovendo queima em barris de madeiras nacionais a fim de obter novos aromas e sabores.

As madeiras para armazenar e envelhecer cachaça:

Amburana (Amburana cearenses)

Imburana, umburana, cerejeira, cumaru-do-ceará, amburana-de-cheiro, cumaru-de-cheiro
Risco de extinção: Em perigo: risco alto de extinção a curto prazo.
Descrição sensorial: Cor dourada ou âmbar cristalino em tonéis de baixo volume (200 litros), após um ano. Em dorna de grande volume apresenta cor amarelo-pálido. Aromas e sabores de baunilha, cravo, canela e outras especiarias, dependendo do volume, tempo de maturação e se o barril passou ou não por tosta.

Bálsamo (Myrocarpus frondosus)

Pau-bálsamo, cabriúva, bálsamo- caboriba, pau-de-óleo e cabriúna- preta
Risco de extinção: Em perigo: risco alto de extinção a curto prazo.
Descrição sensorial: Em barris novos, chega em tons âmbar-avermelhados e sabores amadeirado e vegetal. Nas cachaças envelhecidas por muitos anos em tonéis antigos e de grande volume, a cachaça assume uma cor dourada com tons esverdeados e aromas intensos, trazendo notas herbáceas e de especiarias, como anis, cravo e erva-doce, e também a sensação de picância e adstringência ao destilado.

Madeira muito usada para envelhecimento de cachaça no norte de Minas Gerais, como a famosa cidade de Salinas. O bálsamo traz muita especiaria (rico em eugenol), frutado e tânico. É uma madeira resinosa, que, assim como a amburana, merece atenção e períodos mais curtos de envelhecimento acelerado para não ficar intragável. Sua tosta reduz a intensidade tânica e eleva seu dulçor em equilíbrio com as especiarias (cravo).

Jequitibá-rosa (Cariniana legalis)

jequitibá- vermelho, jequitibá- cedro, estopa, jequitibá- grande, pau- caixão, pau- carga, congolo-de- porco e caixão.
Risco de extinção: Em perigo: risco alto de extinção a curto prazo.
Descrição sensorial: Cor, aromas e sabores pronunciados ao destilado se envelhecido em barris de pequeno porte. Pela presença de vanilina, que agrega notas de baunilha à cachaça, é considerada a madeira nacional que mais se assemelha ao carvalho americano.

Ariribá (Centrolobium tomentosum)

araribá- vermelha, araribá-rosa, araruva, potumuju
Risco de extinção: Pouca probabilidade de extinção com as atuais condições.
Descrição sensorial: Cor amarelo-pálido e leve buquê de flores e vegetal. Quando tostada traz aromas de frutas vermelhas (morango). É uma das madeiras que mais confere oleosidade ao destilado por ser rica em glicerol, componente natural desejável.

Carvalho Europeu (Quercus petraea)

carvalho europeu, diferente do carvalho americano (Quercus alba)
Risco de extinção: Risco baixo de extinção.
Descrição sensorial: Cores que vão do amarelo-pálido ao mogno e aromas mais sutis e temperados, lembrando amêndoa, e adocicados, contribuindo com textura e adstringência. O carvalho europeu é a madeira mais usada no envelhecimento de cachaça

Amburana (Amburana acreana):

Muito marcante, a amburana em poucos dias já aporta características sensoriais. É uma madeira muito perfumada (baunilha, canela), oferecendo aromas florais (flores brancas) e amadeirados – é necessário atenção para a intensidade não comprometer o equilíbrio sensorial – bebidas com muita presença de amburana tem aquele aroma característico de “armário de vó”. Quando tostada (no kit ela é tosta média), entrega muita doçura, especiarias e suavizando sua intensidade tânica.

Castanheira (Bertholletia excelsa)

castanheira é conhecida popularmente como “o carvalho brasileiro” por ser rica em vanilina, trazendo aromas associados a junção do tostado com baunilha, chocolate e caramelo. Após tosta reduz também sua intensidade vegetal de madeira nova e enriquece a percepção sensorial de castanhas. A castanheira está em extinção e tem seu corte proibido – fique atento de comprar apenas de tanoeiros com certificação.

Cumaru (Dipteryx Odorata)

cumaru é rico em cumarina, matabólito encontrado em diversas plantas como a erva-doce e guaco. O seu aroma remete a baunilha com bastante intensidade. Por isso, a cumarina é amplamente usada na indústria de cosméticos e aromatizantes. O cumaru é de dulçor e especiaria elevados e resinosidade mediana. A amburana também é rica em cumarina, sendo muito mais popular na tanoaria brasileira para envelhecer bebidas do que o próprio cumaru.

Eucalipto (Eucalypto spp)

eucalipto não é uma árvore nativa, mas se adaptou muito bem no Brasil. Vinda da Oceania, o eucalipto tem muitas espécies distintas e nem todas são adequadas para o envelhecimento de bebidas. Quando utilizada a espécie correta e com o tratamento devido o Eucalipto se aproxima das características sensoriais do carvalho europeu. Deixando de lado o preconceito de ser uma madeira pouco nobre para a tanoaria e com características que lembram “pasta de dente”, os dadinhos de eucalipto presente no kit proporcionaram uma bebida de dulçor elevado e equilíbrio entre frutado, castanhas e especiarias.

Ipê (Handroanthus sp.)

A tosta e tratamento são necessários para fazer do ipê uma madeira ideal para tanoaria, entregando maciez, diminuindo a intensidade tânica e aumentando dulçor. A madeira entrega sabores associados a nozes e castanhas.

Jaqueira (Artocarpus heterophyllus)

A árvore da jaqueira é comum no Brasil, mas sua origem é do sul da Ásia, provavelmente da Índia. Conhecida popularmente como fruta pão e usada para fazer doces, compotas, geléias, mais recentemente vem sendo usada para produção de barris para envelhecer bebidas, especialmente cachaça. A madeira traz doçura intensa acompanhada de especiarias.

Jequitibá (Cariniana micrantha)

Existem algumas espécies distintas de jequitibá utilizadas para armazenamento e envelhecimento de cachaça. A Cariniana legallis, conhecida como jequitibá-rosa, é uma árvore típica da Mata Atlântica com características sensoriais distintas de outros jequitibás encontrados pelo Brasil. A Cariniana micrantha, conhecido popularmente como castanha-de-macaco, e madeira presente no kit de envelhecimento, é uma árvore da floresta Amazônica. A madeira é considerada neutra, contribuindo para a bebida se tornar mais leve e agradável. Quando tostado, o jequitibá contribuí com elementos vanílicos que intensificam o dulçor da bebida.

O kit de envelhecimento de cachaça e outras bebidas

Características das madeiras brasileiras

Para quem tem curiosidade em conhecer mais sobre o processo de envelhecer bebidas e gostaria de experimentar mais sobre os aromas e sabores das madeiras, incluíndo madeiras brasileiras e outras mais exóticas, os amigos da Dornas Havana lançaram o Kit Seleção de Madeiras.

O kit de envelhecimento de bebida possui 10 saquinhos com cerca de 100 dadinhos de 1 cm de lado das seguintes madeiras: Amburana, Bálsamo, Carvalho, Castanheira, Cumaru, Eucalipto, Ipê, Jaqueira, Jequitibá e Putumuju.

Aqui no Mapa da Cachaça utilizamos os dadinhos para processo de envelhecimento acelerado de cachaça, mas é possível usar também para maturar cerveja, vinho, coquetéis, azeites e até pimentas.

Felipe Jannuzzi

Felipe Jannuzzi

Felipe é um dos criadores do Mapa da Cachaça. Viajou o Brasil visitando produtores e trabalha para a valorização da cachaça no mundo. Além do Mapa da Cachaça também é sócio da Ethylica e da Espíritos Brasileiros.

Quer receber no seu e-mail 5 aulas gratuitas sobre cachaça? Assine nossa newsletter exclusiva e durante 5 dias te enviaremos o melhor conteúdo sobre o destilado brasileiro!

Compartilhe esse artigo

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Dadinhos de madeira

Dadinhos de Madeira 1kg – Sem Tosta

Um quilo de dadinhos de madeiras sem tosta para envelhecimento acelerado. As opções de madeiras são: Amburana, Bálsamo, Carvalho, Castanheira, Cumaru, Eucalipto, Ipê, Jaqueira, Jequitibá, Putumujú

Comprar
  • Alceu
    março 31, 2015 at 8:31 pm

    Barril de pinus pode ser usado para envelhecimento de cachaça? Grato!

  • Avaci. Gomes
    abril 11, 2015 at 10:39 pm

    Uma pergunta: O barril envernizado não passa o verniz pra bebida?

    • neto
      novembro 14, 2016 at 11:29 pm

      O verniz impermeabiliza a madeira, impedindo assim que o ar penetre no barril. Consequentemente, não acontecera envelhecimento da cachaça. sera apenas um depósito.

  • adnan
    junho 17, 2015 at 7:05 pm

    Voces não comentam os comentarios não né? Funciona ao inves de se colocar a cachaça na madeira, colocar a madeira na cachaça? Cerejeira e amburana não são a mesma coisa, pelo menos é o que ouvi falar…www.pingaecachaca.blogspot.com

    • Mapa da Cachaça
      junho 17, 2015 at 8:40 pm

      Adnan, colocar a madeira na cachaça é uma prática muito usada, mas legalmente proibida – é a chamada chipagem. Dessa forma, se consegue extrair propriedades da madeira de forma mais rápida, no entanto, sem o capricho trazido pela interação entre meio, madeira e cachaça possibilitado apenas pelo tempo de envelhecimento. Nas nossas pesquisas, sempre encontramos a referência de umburana ser conhecida também como cerejeira. Seria legal ouvir a sua opinião sobre isso. abraços

  • Sergio Côrte
    agosto 14, 2015 at 1:33 pm

    Onde consigo comprar barril de amendoim 10 , 15 ou 20 Litros?

  • Jairo Pereira Santos
    agosto 18, 2015 at 12:11 pm

    Sensacional a matéria!
    Realmente, só o conhecimento nos liberta da ignorância.
    Sou um apaixonado e “estudioso” dos assuntos relacionados à cachaça e, ouvi
    comentários sobre o uso da madeira do EUCALIPTO para envelhecimento. Gostaria
    de saber mais à respeito e se já tem algum estudo\experimento em andamento.

    Cordial abraço!!

  • Luciano
    agosto 21, 2015 at 3:23 pm

    Obrigado pelas orientações!
    Vivendo e aprendendo…
    Forte Abraço,
    Luciano Jr.

  • Tarcisio Goudinho
    agosto 29, 2015 at 8:08 pm

    Achei muito interessante os comentários sobre as madeiras nacionais para o envelhecimento das cachaças nos temos uma muitas variedades que ainda não estão sendo explorada e pouco divulgado em todo o Brasil nos as vezes valorizamos muito só os barris de carvalho porque naõ conhecemos outras madeiras que nos temos e não as conhecemos e muito importante o trabalho que o mapa da cachaça vem fazendo pois eu sou um produtor de cachaça na cidade de Lauro Muller no sul de Santa Catarina e nos temos algumas dificuldades para encontrar e comprar barril de madeiras diferentes

  • alberto schiffer
    novembro 11, 2015 at 12:03 pm

    qual e a vida util de um barril de madeira para envelhecer cachaça( em anos), pergunto para não comprar barris velhos que não dão mais gosto a cachaça.

    • Mapa da Cachaça
      novembro 11, 2015 at 12:53 pm

      Depende de diversos fatores, Alberto. Alguns produtores recomendam a tosta do barril a cada 3 anos para reativar as propriedades da madeira.

    • Marcelo
      janeiro 5, 2019 at 4:00 pm

      Olá, podem chegar a durar até 12 anos, dependendo mesmo de fatores de locais de armazenamento e clima.

  • Alex
    dezembro 10, 2015 at 4:15 am

    Toneis de castanheiras e similar o carvalho da qualidade a cachaça?

  • Marco Polo Gambogi Parreira
    dezembro 20, 2015 at 12:11 pm

    Tenho uma madeira de balsamo, seca a mais de 30 anos, quero vender, se houver interesse favor entrar em contato pelo e-mail eletropolocb@yahoo.com.br ou
    telefone (35) 9.9929-5399, falar com Marco Polo.

  • Irivan Sousa
    janeiro 12, 2016 at 6:56 pm

    Quero registrar aqui o meu aval pra cachaça salineira(Salinas-MG). Uma cachaça boa em todos os sentidos: incorpada, forte,aroma incrível e sabor prolongado. Experimentem!!!

  • Leandro
    fevereiro 12, 2016 at 1:15 am

    Gostei muito da matéria, mas gostaria de saber qual a vida útil de um barril, acima de 200 litros, usado no envelhecimento de cachaça?

    • Mapa da Cachaça
      fevereiro 12, 2016 at 8:22 am

      Leandro, recomenda-se manutenção a cada 3 anos. É preciso avaliar se o barril ainda passa as propriedades sensoriais desejadas e se não possui vazamentos. Barris exauridos ou expostos em condições adversas podem trazem aromas indesejáveis ao destilado.

  • […] Cachaça company Mapa da Cachaça […]

  • mario sergio boteon
    março 13, 2016 at 6:24 pm

    tenho um corote pinga 05 litros carvalho europeu gostaria saber qual pinga é ideal para colocar no corote a pinga branca ou a pinga amarela obrigada pela atenção!!!

    • Mapa da Cachaça
      março 14, 2016 at 12:47 pm

      Mario, o ideal é colocar a pinga branca. Mas veja se seu corote já não está exaurido, ou seja, perdeu a capacidade de passar muito aroma e sabor pra cachaça. Se for o caso, ele servirá apenas para armazenamento da bebida e não influenciará nas suas características sensoriais. Nesse caso, é possível colocar cachaça amarela também.

  • MAURILIO LUCAS XAVIER
    março 23, 2016 at 2:51 pm

    Vejo no rótulo da HAVANA escrito, que o envelhecimento da cachaça é feito em barris de bálsamo, porém aqui acima diz que é envelhecida em carvalho e bálsamo. Gostaria de saber se nesse artigo é real nas duas madeiras e os tempos.

    MAURILIO L. XAVIER – UBÁ-MG
    bolão.xavier@hotmail.com

    • Mapa da Cachaça
      março 23, 2016 at 2:56 pm

      Maurilio, a Havana é envelhecida apenas em bálsamo. São vários barris de diversos tamanhos por no mínimo 10 anos. Att

  • Sergio
    maio 25, 2016 at 7:18 pm

    Oi, comprei cachaça Selete e o rótulo diz Umburana… é Amburana? Obrigado (Eu no falo portugués, moro en Uruguai!

  • AIRTON J ANDRADE
    junho 29, 2016 at 11:00 am

    queria saber se a cachaça armazenada em barril de madeira de cedro fica boa e é aconcelhavel?

  • Luciano
    agosto 2, 2016 at 7:07 pm

    Olá, gostaria de saber sobre a grapia

  • Décio de Sousa
    agosto 15, 2016 at 2:10 pm

    Posso usar pinus, cedro, guajará para fazer os barris?

    • Mapa da Cachaça
      agosto 29, 2016 at 3:40 pm

      Décio, só observe se as madeiras ficam boas com cachaça – coloque chips antes de fazer o barril e veja os resultados. Recomendamos também mandar para laboratório para análises toxicológicas. E observa também se as madeiras não são protegidas como castanheira e amendoim. Abraços

  • Jorge Rodrigues
    outubro 16, 2016 at 3:14 pm

    Alguém sabe se a maracatiara pode ser usada para fabricar dorna ou barril? Se ele é própria ou não?

  • Márcio solda
    novembro 9, 2016 at 9:34 pm

    Boa noite ! Peço uma orientação para começar a curtir o consumo de cachaça envelhecidas em barris ! Qual o melhor horizontal ou vertical e a madeira qual me aconselha gosto de uma cachaça maus suave !! Agradeço desde já a atenção !

    Marcio .

  • SIMINO BOAVENTURA SOBRINHO
    novembro 12, 2016 at 10:29 pm

    GOSTARIA DE SABER SE O ROXINHO MADEIRA MAIS FACILMENTE ENCONTRADA PODE SER USADA PARA ENVELHECER CACHAÇA OBRIGADO

  • José R. Bueno
    novembro 17, 2016 at 12:17 pm

    Prezados Sras. e Srs.

    Excelente matéria. Veio a calhar, pois estou iniciando um empreendimento no setor de cachaças artesanais
    e está na hora da compra dos barris.

    Agradeço a todos por esta publicação.

    Muito obrigado.

    José R. Bueno
    e-mail: josebueno@terra.com.br
    Cel. 11-99355-0404

  • francisco
    novembro 17, 2016 at 8:21 pm

    cotaria de comercialisar cachaca gostei muito da apresentacao do barril gostaria de saber preco como faso me contato e extintoradebora@yahoo.co.br

  • Diogo
    dezembro 22, 2016 at 10:31 pm

    Olá! !
    Excelente artigo, foi de grande valia para mim.
    Gostaria de saber se você sabe onde posso encontrar barris de 20 litros de Amburana para comprar. Desde já agradeço.
    Abraços.

  • Danilo Côrte
    março 4, 2017 at 11:50 am

    Gostaria de saber especificações de peso de toneis ou especificações das madeiras usadas na prateleira usada para por tonéis como na imagem. Alguém pode me ajudar ou me passar um site que consiga? Desde já agradeço.

  • Henrique Aguiar
    abril 4, 2017 at 1:57 pm

    Tenho uma pequena produção de cachaça de alambique e gostaria de iniciar um processo de envelhecimento nas mesmas com barris de 500L de umburana nordestina alguém pode me indicar um fornecedor para a reagião Nordeste?

  • Adão Aparecido dos Santos
    abril 24, 2017 at 7:43 pm

    Boa noite
    Gostei do artigo você teria algum contato para que eu possa comprar um barril para vinho e um para cachaça, estou pensando em dois de 50 litros, será estou no caminho certo?
    Grato
    Adão Aparecido dos Santos

  • joao carlos teodoro
    maio 1, 2017 at 10:48 am

    sou apaixonado por tonel de carvalho a pinga fica uma delicia

  • Aguinaldo Souza Neto
    maio 16, 2017 at 10:50 pm

    Num barril de 5 litros, quanto tempo devo deixar a cachaça para poder consumir e se posso acrescentar mais quando for sendo retirada.

    Parabéns Sra. Aline, gostei do artigo.

    Aguinaldo Souza Neto

  • Lugimar Lopes
    junho 7, 2017 at 5:58 pm

    Gostei muito das explicações referente aos barris.
    Estou com a intenção de montar uma pequena destilaria e se puderem me informar onde são adquiridos os equipamentos (de pequeno porte), agradeço.

  • Daniella
    junho 20, 2017 at 3:06 pm

    Boa tarde,
    Troncos da árvore de canela podem ser utilizados para fazer barris para cachaça? Já ouviu falar a respeito? A intenção é caracterizar a bebidas com gosto de canela…
    Será que dá certo? É comum essa prática?
    Obrigada

  • Claudio Almeida
    junho 25, 2017 at 8:41 pm

    Boa Noite, gostei das matérias, mas ainda fiquei com duvida.
    Estou procurando um corote, ou ancorote para colocar e deixar em casa para consumo próprio e de amigos, e estou em dúvida na litragem e no tipo de madeira.
    5 litros ou 10 litros ?
    tipo de madeira ?
    com ou sem verniz?
    Alguém poderia me ajudar?

  • Edson Vaz
    julho 17, 2017 at 7:15 pm

    Boa noite
    Existe alguma essencia de madeira carvalho, para dar o aroma e gosto na cachaça?
    Deixe-me explicar melhor. Tenho um barrilzinho de carvalho que comportam 02lts. Porém, quando chega visitas, um litro vai embora, e ao completar o barril, demora para ter aquele gosto/sabor novamente. Pensei, que, se colocar pedaço de pau de carvalho em litros de cachaça, e deixar curtir, quando tiver que reabastecer o barrilzinho, não perderia a qualidade.
    Caso não exista a essencia, onde encontro pedaços de madeira de carvalho?
    Moro em Vila Velha/ES.
    Desde já agradeço.
    Edson Vaz

  • Rubens Tersi junior
    outubro 8, 2017 at 5:06 am

    excelente publicação.

  • Teo
    outubro 8, 2017 at 4:10 pm

    Gostei das informações citadas , muito bom para adquirir e aperfeiçoar o conhecimento.

  • SERGIO ROBERTO VIEIRA
    outubro 16, 2017 at 11:23 am

    Gostei muita dessa explicação dos Carvalhos Europeus e dos Americanos, bem como das demais madeiras para uso no envelhecimento da cachaça.

  • ALCEU JOSÉ MARCELINO
    outubro 28, 2017 at 4:27 pm

    EU UTILIZO O CARVALHO E O JEQUITIBA; SÃO EXCELENTE QUERO EXPERIMENTAR O BÁLSAMO .

  • Geraldo
    outubro 31, 2017 at 10:01 am

    Olá! Comprei um tonel para cachaça, a madeira, quem me vendeu, disse que era de catuaba, gostaria de saber se é comum o uso dessa madeira, se sim, qual o sabor que posso esperar dela.
    Obrigado.
    Geraldo

  • Diógenes Valverde Quirino
    janeiro 1, 2018 at 9:53 pm

    Gostei muito. Estava afastado da área há alguns anos. A variedade e clareza das informações me animaram sobremaneira. Parabéns professora.
    .

  • Márcio
    janeiro 29, 2018 at 10:59 pm

    olá tudo bem?
    sou proprietário da cachaça Guedes.
    gostaria de fazer parte do mapa dá cachaça.
    como que fas?
    obrigado.

  • Marcos Rosa
    fevereiro 10, 2018 at 7:16 pm

    Marcos Rosa,tenho um garrafão de 30 litros de cachaça, sempre guardei com muito carinho, gostaria de colocar uma esencia de carvalho ou cavaco da madeira ,qual devo usar se a madeira quanto uso? Meu pai sempre foi produtor de cachaça mas quase não envelhecia, não se produz mais, ficou toneis de carvalho de ate 200.000 litros.

  • Fernando
    fevereiro 14, 2018 at 7:07 pm

    Muito bom artigo ! Parabéns e obrigado !!

  • Tony
    abril 7, 2018 at 12:19 pm

    Caros .

    Meu nome é Tony e gostei muito da materia sobre as diferentes madeiras, e gostaria de saber onde posso comprar Barris com essa madeira , pois estou desenvolvendo um projeto e gostaria de testaar qua sera o melhor , qual dara o melhor sabor, mais adocicado , etc..e diferente a bebida que estou desenvolvendo .
    Agradeco muito quem puder me fornecer essa informacao.meu e-mail é “tony@amazontech.ca “Muito obrigado.

  • Flavio Pereira
    abril 13, 2018 at 9:28 pm

    Os barris pequenos de 1, 5 e 10 litros de fato podem nos proporcionar um efeito desejado no sabor da cachaça?

    Imagine que eu compre um barril e armazenar a bebida por 3 anos, vou ter uma bebida de qualidade ou depende de tratamento profissional?

  • Rogério de Oliveira Rocha
    maio 19, 2018 at 12:10 pm

    Tenho um barril de carvalho de 5 litros, qual a melhor pinga que eu possa encontrar no mercado para colocar no meu barril? …Obrigado. ..

  • Amauri Dantas de Lima
    maio 25, 2018 at 8:50 am

    Gostaria de saber mais sobre as madeiras utilizadas aqui no brasil para fabricação de barris para envelhecimento de cachaçae onde encontrar esses barris na Paraiba, Recife ou Natal.

  • Claudio
    junho 24, 2018 at 4:47 pm

    Gostaria de conhecer melhor sobre cachaça, talvez ate mesmo ter um tonel em envelhecimento para melhor qualidade,

  • João Batista
    outubro 2, 2018 at 5:01 pm

    Muito legal mesmo

  • Alessandro
    dezembro 28, 2018 at 5:18 pm

    Boa tarde,

    Toda a madeira de lei poderia ser testada para envelhecimento ou existe no brasil alguma madeira de lei que seria nociva para o ser humano?

  • Gilmar Francisco Rocha
    outubro 24, 2019 at 9:25 pm

    Comprei uma cachaça em Ouro Preto com o nome de Safra Barroca.
    Gostaria de saber se a informação procede, ou seja o sabor é adquirido apenas no envelhecimento em tonéis de Umburana ?

    Grato,

    Gilmar

    • mapadacachaca
      outubro 30, 2019 at 6:52 pm

      Gilmar, infelizmente não conhecemos essa cachaça safra Barroca. Mas para ser chamado de cachaça o sabor (aroma e cor também) só podem ser obtidos pela madeira – agora não sabemos dizer se apenas amburana ou se há alguma outra madeira usada para envelhecer a Safra Barroca.

  • Antonio Silvio Hendges
    outubro 28, 2019 at 11:01 am

    O bálsamo (Myrocarpus frondosus) e a cabriúva (Myroxylon peruiferun) não são a mesma madeira, são da mesma família, mas não da mesma espécie. E as notas que transferem no envelhecimento também são diferentes, embora possuam semelhanças dependendo do tempo de envelhecimento.

    • mapadacachaca
      outubro 30, 2019 at 6:50 pm

      Sem dúvida, Antonio. Apesar de popularmente falarem que bálsamo e cabreúva são a mesma madeira, concordamos com seu depoimento. Inclusive, alguns produtores identificam no seu portfólio essa distinção, como a Weber Haus que tem versão em bálsamo e cabreúva.

  • […] infusionados na cachaça pode, em um curto período de tempo, trazer resultados semelhantes ao armazenamento por meses ou anos em dornas e barris – principalmente se houver auxilio de equipamento para micro-oxigenação. Há ainda […]

  • As cores da cachaça - Mapa da Cachaça
    dezembro 10, 2019 at 8:01 am

    […] Aprenda com o Mapa da Cachaça como avaliar as cores da cachaça. Essa etapa da avaliação sensorial diz muito sobre a qualidade da cachaça e seu processo de produção, principalmente relacionado ao envelhecimento em madeiras. […]

  • […] legislação da cachaça define os tipos de cachaça de acordo com o envelhecimento em madeira denominando as categorias: prata, ouro, premium, extra-premium e reserva especial. No Mapa da […]

  • […] e presidente da Porto Morretes, Fulgencio Torres, que se deparou com uma dificuldade na hora de comprar barris de madeiras brasileiras para trabalhar com o envelhecimento das cachaças do portfólio de exportação da marca Novo Fogo, […]

  • […] cada vez mais comum pessoas que compram barril de cachaça de pequeno porte para envelhecer cachaça em casa. Abaixo, mostramos todos os passos necessários para você não errar na hora de […]

  • Zelson
    fevereiro 8, 2020 at 1:20 am

    Ganhei uma dorna pra por cachaça feita da madeira roxinho , sera que a madeira nao e toxica pra isso?

  • […] uso de madeiras brasileiras no envelhecimento de cachaça é bastante conhecido. Vem dos tempos da colonização, quando espécies nativas da Mata Atlântica […]

  • […] há diferença do ponto de vista do desempenho de envelhecimento da cachaça, apenas a forma. As pessoas estão mais acostumada com o barril, e muitas vezes preferem por uma […]

  • Os Tipos de Cachaça - Mapa da Cachaça
    julho 26, 2020 at 10:24 pm

    […] O legal na cachaça é a diversidade de tipos de madeira para envelhecimento e armazenamento. […]

  • Alfonso Martinez carnicer
    abril 28, 2021 at 4:16 am

    Buenos dias ; somos una empresa belga , importadora de cachaça a granel, tenemos el proyecto con nuestro fornecedor Brasileiro de hacer una cachaça armazenada o envelhecida, antes de elegir el tipo de madera , deseamos hacer unas pruebas, nos podrian suministras 3 kits de Lajas n nos indican el costo con el transporte por DHL a Bruselas
    Atentamente
    Alfonso Martinez

  • Lenildo
    agosto 21, 2021 at 1:12 am

    Bom dia

    Estou curioso, preciso que alguém mim ajude!
    Ganhei um barril de tronco de Carvalho em formato de filtro e prendendo depositar uma cachaça e deixa-lo mora.

    Alguém poderia mim indicar qual a melhor cachaça para envelhecer nesse tipo de madeira.

    Obs.: é um filtro artesanal totalmente de madeira esculpida com capacidade para apenas um litro.

    • Mapa da Cachaça
      setembro 5, 2021 at 1:12 pm

      Recomendamos uma boa cachaça prata, aquela que ainda não passou por madeira. Ideal é que seja uma cachaça que seja boa já na sua versão branquinha. Prefira também uma com teor alcoólico acima dos 44% – a tendência é perder álcool ao longo do processo de envelhecimento.

Adicionar um comentário

Já se inscreveu no Mapa da cachaça?

40 mil já fazem parte da nossa comunidade.

Se inscreva agora e receba no seu e-mail o melhor do Mapa da Cachaça