Como degustar cachaça? - Mapa da Cachaça
Verallia

Como degustar cachaça?

03 de 06 de 2013

Como degustar cachaça? Mostramos um guia com um passo a passo explicando todas as etapas de uma degustação.

Degustação de Cachaça

Uma degustação ideal deve ter no máximo cinco cachaças, em doses de 25 ml ou menos; um número superior de análises poderá comprometer a capacidade de avaliação.

Análise Visual

A primeira etapa do processo de degustação de cachaças é a análise visual. Para a melhor avaliação, sugerimos que a bebida seja colocada numa taça transparente (80 – 120 ml), de preferência um cálice com haste, para que seus dedos ou suas digitais não atrapalhem, limpo e livre de odores, inclusive daqueles característicos “de armário”, e de espessura relativamente fina;

Para avaliar as características visuais do líquido, examinam-se cor, limpidez, lágrimas e viscosidade e rosário.

Cores

Para observar a cor, cada cachaça deve ser servida em taça transparente apropriada e em local bem iluminado. Para a melhor avaliação, é sugerido o uso de um papel branco, que, posicionado atrás do recipiente, permite visualizar a tonalidade do líquido sem a interferência de objetos que possam estar no ambiente.

A cachaça não envelhecida em madeira é incolor, enquanto as que passam por madeira apresentam uma diversidade de cores. As principais cores são definidas como: mogno, âmbar, caramelo, dourado, palha, amarelo-pálido. Outras nuances de cor, intermediárias dessas propostas, também podem ser observadas.

Barris de jequitibá-branco, freijó e amendoim transferem pouca coloração para a cachaça. No caso das cachaças armazenadas em barris exauridos e de grande volume de jequitibá-rosa, carvalho ou amburana, algumas delas podem ser incolores.

Dimensão, idade do barril e tempo de envelhecimento podem influenciar a cor: quanto menor e mais novo, mais intensa é a cor. Barris maiores precisam de um tempo de envelhecimento mais longo para contribuir efetivamente com a coloração da bebida.

Limpidez, transparência, brilho

Devem-se observar limpidez, brilho, turbidez e a eventual presença de materiais em suspensão. Uma cachaça de qualidade precisa ser transparente, cristalina e não conter partículas sólidas.

Lágrimas e viscosidade

Ao girar a taça, devemos observar a formação de lágrimas escorrendo pelas paredes do recipiente. Lágrimas mais lentas sugerem destilação ou envelhecimento feitos de forma adequada. Lágrimas muito rápidas podem significar diluição excessiva com água ou presença de partes indesejáveis da destilação. Espera-se também maior viscosidade em cachaças envelhecidas.

Alguns produtores utilizam glicerol para aumentar a viscosidade da cachaça de maneira artificial. Essa substância fornece característica adocicada e pode ser identificada em análises químicas laboratoriais. O envelhecimento em madeiras é uma fonte natural e desejável de glicerol.

Rosário

Esse é o nome dado às bolhas que se formam na superfície da taça logo após a cachaça ser servida – a formação lembra o rosário católico para oração ou um colar de pérolas. A persistência e o tamanho das bolhas estão associados ao teor alcoólico do destilado. Na avaliação visual, espere rosário mais intenso e persistente em cachaças com maior teor alcoólico.

Análise Olfativa

Para esta etapa da degustação, padronize uma distância entre o copo e seu nariz, de modo que um fique próximo ao outro, em geral de três a quatro centímetros são suficientes. É interessante que haja poucas interferências odoríferas do ambiente, mãos ou perfumes corporais.

Análise Gustativa

Agora vamos à parte do sabor da cachaça. Lembre sempre de tomar água para “limpar” os sabores entre a degustação de diferentes cachaças e se manter hidratado. Para avaliar as características relativas ao sabor, coloque uma pequena quantidade de bebida na boca e a faça percorrer todos os seus cantos.

Análise retro-olfativa

Esta análise é extremamente importante, já que utiliza os aparelhos sensoriais boca, garganta e nariz, e permite realçar ou descobrir novos sabores da cachaça. Para verificar este critério, inspire preenchendo parcialmente os pulmões com ar, ponha a cachaça na boca e a sinta, engula e, só então, expire lentamente. Analise o conjunto que fica em sua boca: a doçura, a acidez, a picância, o sabor alcoólico, o sabor da madeira, a persistência. Uma boa cachaça mantém as boas características (que você já avaliou no item anterior – Análise Gustativa) por dois segundos ou mais. Quanto mais prolongado, melhor.

Avaliação Final

Para a avaliação final, deve-se considerar o conjunto da obra. Neste momento, lembre que uma boa cachaça depende do canavial e dos tratos que o mesmo recebeu, se a colheita foi feita no momento certo, do tempo que a cana levou entre o corte e a moagem, da qualidade da água para a preparação do mosto, da higiene e qualidade da fermentação e da destilação criteriosa, e ainda, do uso adequado e equilibrado de madeira sem os subterfúgios para mascarar os defeitos originais da cachaça. Como não é possível saber de todos os detalhes da produção temos que confiar nos nossos sentidos, ou seja, temos que avaliar se a aparência, o odor e o sabor da cachaça se encaixam e o quanto isso nos agrada.

 

Anúncios

PUBLICADO POR:

youtube google-plus facebook twitter instagram user filter list