Receitas

Patê de fígado de galinha com cachaça no Boteco DOC

Print Friendly, PDF & Email

Isadora Fornari nos apresenta o "Patê da Redenção", receita do avô do chef Rodrigo Tristão do Boteco DOC no Rio de Janeiro. O patê é preparado com fígado de galinha e leva cachaça envelhecida em amburana.

Quando recebi o desafio de apresentar um pouco mais sobre os usos da cachaça na culinária, fui agraciada por talentos que compartilharam comigo receitas cheias de paixão. O que pude vivenciar é que para grande parte das pessoas que cozinha os pratos trazem um pouco ou muito das lembranças e personalidade do autor.

Dessa forma, ao apreciarmos uma refeição podemos aprende sobre a história do prato e também sobre o seu criador ou criadora. É o que se descobre durante a silenciosa prosa que é o mastigar. A sensação é como se o chef dividisse com você as suas lembranças, predileções, ousadias, origens. O Boteco DOC (Denominação de Origem Carioca) tem essa proposta: compartilhar com seus clientes a essência carioca. Um espaço super charmoso e descontraído em Ipanema, com cervejas e cachaças artesanais, decoração com vinis e imagens antigas do Rio de Janeiro, além de um cardápio breve mas cheio de bossa nas comidinhas de boteco. Lá a experiência carioca é tão verdadeira que a impressão é que mesmo se ele fosse no Alasca, você se sentiria no Rio.

Boteco Doc - R. das Laranjeiras no Rio de Janeiro

O chef que assina os pratos é o prodígio Rodrigo Tristão. Garoto de sorriso fácil, carisma, gentileza e no olhar percebemos sua paixão pela cozinha. Ele é carioca, mas carrega em suas mãos toda a trajetória de sabores que foi passada por sua família. Entrou na cozinha com 8 anos e ajudava a família a produzir queijos e defumados no sítio que tinham. Ele tem uma forte ligação com ingredientes brasileiros e comida caipira graças a mãe, vinda do interior de São Paulo. Com apenas 24 anos já passou uma temporada na Espanha e já trabalhou com Cloude Troisgros e Jan Santos. Ele usa e abusa de produtos nacionais no Boteco DOC sempre propondo experiências inusitadas. Por exemplo, todas as quintas ele cria uma nova combinação para traduzir toda bagagem familiar e profissional em forma de hambúrguers. Cada semana um diferente, 100% artesanais, inclusive o pão. Vale o convite para brincar de combiná-los com cerveja e cachaça!

Ele utiliza muito a cachaça na cozinha do seu Boteco. Pelo menos em 5 pratos. Mas quando o convidei para compartilhar uma receita ele decidiu fazer uma que aprendeu com seu avô, de origem polonesa. Além da relação afetiva e tributo ao seu parente, percebi que esse prato é também um delicioso manifesto em prol da valorização de produtos riquíssimos do Brasil que ainda sofrem preconceitos, caras feias e bocas tortas. O fígado de galinha e cachaça juntos em um deleitoso aperitivo: o “Patê da Redenção”.

patê de figado de galinha com cachaça

Patê da Redenção: fígado de galinha e cachaça envelhecida em amburana

Autor(a) Rodrigo Tristão
Ingredientes
  1. 500g de fígado de galinha limpos passados em água com bastante gelo e depois escorridos.
  2. 200g de bacon em cubo.
  3. Fritar bacon em fogo baixo até dourar.
  4. 100ml de cachaça envelhecida em Amburana para equilibrar o amargo do fígado
  5. 1 cebola grande picadinha
  6. 1 colher de chá de sal
  7. 2 colheres de sopa de pimenta do reino
  8. 1/2 colher de sopa de melado
Instruções de preparo

Ingredientes do patê de fígado com cachaça

1. Coloque a cebola no fogo até que ela sue bem e fique translúcida.

2. Coloque o fígado, refogue um pouco e adicione pimenta e sal.

3. Cozinhe até que figado pare de soltar muita água.

processo figado de galinha

4. Adicione 1/3 da cachaça e todo o melado. Misture tudo por 2 minutos e retire do fogo.

5. Acrescente o restante da cachaça.

6. Bata toda a mistura em um processador até que fique uniforme e adquira consistência de patê.

7. Despeje tudo em refratário e leve a geladeira por 2 horas e sirva em canapés, saladas e conservas. 

Dicas Harmonização: Coroando esses poucos valorizados ingredientes, juntos eles mostram que tem ainda mais força. Para complementar a mistura, é possível harmonizar o prato com uma boa cachaça. O patê da redenção apresenta sabores marcantes que tendem ao amargo com discretas notas adocicadas. Caso o sirva como protagonista, com salada ou em pãezinhos, sugiro o acompanhamento de uma cachaça blend de bálsamo e carvalho. Os aromas adociacados e herbais da cachaça valorizarão o gosto do patê e completarão com equilíbrio a experiência com esse “fois gras” brasileiro.
Rendimento 6 porções
Fotos

[adsanity_group group_ids=5172 num_ads="2" num_columns="2"]
Isadora Bello Fornari

Isadora Bello Fornari

É uma apaixonada por gastronomia e uma estudiosa do destilado brasileiro. Assim como a cachaça que bebe, Isadora é uma mulher de personalidade que acredita na valorização da cultura nacional através dos seus ingredientes.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *