Receitas

Frango com Quiabo e Amendoim

Print Friendly

Aprenda a preparar uma deliciosa receita mineira de frango com quiabo e amendoim que a Elisa D. Teixeira aprendeu com sua tia Maria Alice em Muzambinho - MG

Receita mineira de frango com quiabo e amendoim

A receita que escolhi fazer para vocês é o preparo de um frango com quiabo e amendoim, que comi pela primeira vez na casa da Tia Maria Alice, em Muzambinho, quando tinha uns sete ou oito anos de idade. Achei o máximo a combinação inusitada de frango com quiabo e amendoim , e nunca mais esqueci.

A carne que eu mais como no dia-a-dia é a de frango. Tenho sempre um pacote de peito de frango congelado em casa. É super prático – vou tirando as metades do freezer conforme a necessidade. Um peito de frango temperado com sal, pimenta-do-reino, um pouquinho de cebola batidinha e um punhadinho de colorau, depois de refogado e cozido na pressão por meros 10 minutos, pode ser a base para pratos deliciosos, como panqueca, cuscuz, coxinha, arroz de forno, canja, empadão, sanduíches, entre muitos outros.

Por outro lado, é possível que o peito seja a carne mais sem graça do frango, ainda mais se vier da maioria dos frangos que compramos no supermercado hoje em dia, “produzida” em escala industrial. Os cortes de carne escura, como a coxa e a sobrecoxa, são muito mais saborosos, mas por causa do osso (que é um dos motivos de serem mais saborosos) e da pele, acabam sendo desprezados.

Alguém já reparou que o frango, onipresente nos menus de restaurantes do mundo todo por ser um dos pratos de maior margem de lucro, está aos poucos se reduzindo ao famigerado “peito de frango grelhado”? Que coisa mais sem graça! Eu gosto do frango inteiro: pé, cabeça, asa, moela. E se o frango for caipira (ou frango colonial, como querem alguns), não sobra nem osso pra contar história, pois depois de saborear bem a carne, faço um caldo saboroso para uma sopa, risoto ou couscous marroquino.

E não é que outro dia, andando por um mercado oriental aqui em Dallas, vi uma geladeira cheia de frango caipira fresco, com cabeça, crista, bico, unha e tudo? A princípio me intimidei: vai dar um trabalho pra cortar!… Mas a promessa do sabor delicioso dos frangos que como quando vou pra Minas Gerais me motivou, e trouxe um pra casa.

Autor(a) Elisa D. Teixeira
Ingredientes
  1. 1 frango, de preferência caipira, de aproximadamente 1,5 kg, cortado pelas juntas, ou qualquer combinação de carne escura e branca com osso e com pele de sua preferência
  2. 2 colheres de sopa de vinagre (se o frango for caipira)
  3. 1 colher (sopa) de sal
  4. 1 dente de alho pequeno, picadinho
  5. 1/4 de colher (chá) de pimenta-do-reino moída na hora
  6. 1 colher (sopa) de colorau
  7. 1 colher (sopa) de cheiro verde (salsinha, cebolinha e coentro picados)
  8. 1 colher (sopa) de óleo
  9. 1 colher (chá) de vinagre
  10. 1/2 xícara de cebola em rodelas bem finas
  11. 1/3 de xícara (chá) de amendoim torrado, sem pele
  12. 500 g de quiabo, cortado em rodelas de cerca de 1 cm
  13. 2 colheres de sopa de salsinha e coentro picados, para guarnecer
  14. 1 colher (sopa) de óleo
  15. 2 xícaras (chá) de caldo de frango ou água, aproximadamente
  16. 1 colher (sopa) de azeite
  17. 1 tomate maduro picado
  18. sal e pimenta-do-reino a gosto
Instruções de preparo

Se o frango for caipira, esfregue as 2 colheres de vinagre nos pedaços e em seguida despeje água fervente suficiente para cobrir. Escorra em seguida, enxágue e seque com papel toalha.

Faça uma pasta com o sal, o alho, a pimenta-do-reino e o cheiro verde (esmague tudo contra a tábua, com a ponta da faca).

Misture a pasta com o colorau, o óleo, o vinagre e a cebola. Tempere o frango com essa mistura e deixe na geladeira de um dia para o outro para tomar gosto, ou pelo menos por umas 3 horas.

Aqueça a segunda colher de sopa de óleo em uma panela grande de fundo grosso, de preferência de ferro. Junte o frango e vá refogando aos poucos, em fogo médio-alto, até que os pedaços estejam bem dourados de todos os lados (se estiver fazendo os miúdos também, reserve o fígado para acrescentar quando o frango já estiver quase cozido).

Aqueça o caldo de frango ou água e junte cerca de 1/4 de xícara à panela. Tampe e cozinhe, pingando o líquido aos poucos na panela conforme for secando e mexendo de vez em quando, até que o frango esteja bem cozido (o que levará de 1 a 2 horas, dependendo da maciez do frango escolhido). O frango deve ficar bem “caldeado” (com bastante caldo), mas não como uma sopa!

Enquanto isso, aqueça bem o azeite numa frigideira pesada. Salpique o quiabo com um pouco de sal e refogue em fogo alto, mexendo de vez em quando, até ficar quase pronto. Divida em duas ou três levas, para que não junte água na panela e forme muita baba. Por fim, ponha todo o quiabo de volta na frigideira e junte o tomate. Refogue, ainda em fogo algo, até o tomate começar a desmanchar e o quiabo ficar macio. Tempere com sal e pimenta-do-reino a gosto.

Junte o quiabo e o amendoim ao frango. Mexa com cuidado para o frango não despedaçar. Ajuste o tempero. Polvilhe com o cheiro verde e sirva, acompanhado de arroz ou polenta.

Dicas Se for usar o caldo de galinha em cubinhos, não esqueça de diminuir o sal do frango e/ou do quiabo, já que esses caldos são super salgados.

Na hora de servir, separe o sobre (as costas), os pés, cabeça e outras partes menos “nobres” do frango, que podem assustar alguns convidados – guarde-os para fazer uma deliciosa canja.

Se não gostar de coentro, use apenas salsinha na pasta de temperos e para guarnecer.

Já vi essa receita de frango com quiabo sem o amendoim também, mas eu acho que ele dá uma crocância e um sabor especiais. Experimente as duas versões e me diga o que acha nos comentários abaixo.

receitas com cachaça - Banner Mapa da Cachaça
Rotulos de Cachaça
Elisa Duarte Teixeira

Elisa Duarte Teixeira

Elisa Duarte Teixeira é culinarista: adora tudo que tem a ver com cozinha. Fez dessa paixão seu tema de estudo, seu ofício, e sua arte. É tradutora especializada em culinária e autora do blog Authentic Brazilian Cuisine.(http://authenticbraziliancuisine.blogspot.com/)

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *