Onde beber

Inhotim

Print Friendly

A minha vontade de conhecer Inhotim só aumentou depois da entrevista que participei com Jochen Volz, curador artístico do Museu, para o projeto Produção Cultural no Brasil. Inhotim oferece uma experiência inacreditável por contar com um grande conjunto de obras de arte (expostas a céu aberto ou em galerias temporárias e permanentes), situadas em um Jardim Botânico, de rara beleza.

Estivemos em BH nos últimos dias e finalmente consegui matar essa vontade. Incrível. Se tem uma palavra que pode descrever Inhotim a palavra é essa.

Saímos tarde de BH porque a noite anterior tinha sido longa (fazer parte da equipe do Mapa da Cachaça tem dessas coisas, sabe? rs). Fizemos um pit stop numa dessas vendinhas de beira de estrada e o pessoal aproveitou para repor líquidos e dar uma olhadinha nas cachaças da região.

Venda a caminho de Inhotim

Renato e Felipe analisando as cachaças locais.

O museu fica em Brumadinho, uma cidade a cerca de 1 hora de Belo Horizonte. Na estrada passamos por aquelas cidadezinhas pequenas de interior, com vendinhas, igrejinhas e tudo mais que cidades do interior tem pra oferecer. De repente estamos em Inhotim e “Nossa, de onde surgiu tudo isso?!”

Lago de Inhotim

Incrível, não?

É tudo muito bonito. O aconselhável é ir com um par de tênis confortável e chegar logo no horário que o museu abrir, porque tem muita coisa pra ser vista e apreciada. Chegamos tarde, na hora do almoço e a ansiedade era tanta que deixamos o almoço de lado e embarcamos numa visita guiada que mesclava passeios por algumas galerias e obras de arte com uma guia que ia nos falando sobre as belezas naturais de Inhotim.

Galeria 1 Inhotim

Primeira galeria que conhecemos em Inhotim

Galeria 2 Inhotim

Não é incrível como arquitetura e natureza podem conviver em harmonia?

Inhotim antes de virar esse enorme museu a céu aberto era só uma fazenda aonde Bernardo Paz, empresário siderúrgico brasileiro, colocava as obras de arte que colecionava. Além de obras de arte, descobrimos que Bernardo coleciona também diversos tipos de palmeiras e aracacias (aquelas plantas que tem a folha em forma de coração). São aproximadamente 350 obras de mais de 80 artistas, contendo exposições de Tunga, Cildo Meireles, Adriana Varejão, Doris Salcedo, Andy Warhol, Doug Aitken, Matthew Barney, Victor Grippo, Chris Burden e Pipilotti Rist.

Galeria de Adriana Varjão em Inhotim.

Galeria de Adriana Varjão.

Vista Inhotim

E essa vista?!

Pontos de Ônibus.

Obra Pontos de Ônibus

Uai, isso não era uma resenha sobre Onde Beber Cachaça? Pois é! Em Inhotim são diversas as opções de alimentação, tem 2 restaurantes, bares, 1 café, 1 pizzaria, lanchonetes, omeleteria e cachorros-quentes. Já era quase 4 e meia da tarde e a gente ainda não tinha almoçado, por isso corremos para o restaurante mais perto de onde estávamos, chamado Hélio Oiticica, que tem esse nome porque fica do lado da intervenção gigantesca de Oiticica no Inhotim.

Restaurante Helio Oiticica

É um restaurante self service com comida de primeiríssima qualidade e que tem diariamente uma opção de “panelinha”, que é um prato a la carte com comida mineira que serve bem até 3 pessoas por um preço no mínimo justo. Atacamos de saladinha do self service com o prato do dia que contava com salada do chef com alface e frutas ao molho de mostarda e mel, arroz branco, feijão tropeiro e lombo suíno no molho de cachaça! Simplesmente delicioso!

Salada

Panelinha

A tal panelinha. Fofa demais!

Fomos extremamente bem atendidos pelo garçom Thiago que nos disse que o restaurante conta com diversas opções de cachaças para acompanhar os pratos, dentre elas me lembro de ter ouvido ele falar sobre a Vale Verde, Seleta, Salinas, Germana, Espírito de Minas e a Inhotim, que é fabricada por ali mesmo. Logo que chegamos a Inhotim tinhamos falado que se aquilo tudo fosse nosso com certeza teríamos a nossa própria cachacinha fabricada por lá e não é que Bernardo Paz tá ligado que cachaça é o que há!

Para terminar esse passeio delicioso,  muito doce mineiro regado por música de ótima qualidade que a orquestra tocava ao vivo ali ao lado.

Sobremesa do restaurante Helio Oiticica, em Inhotim.

Num podia faltar um docin, né?

E esse foi o resuminho do que foi o nosso passeio por Inhotim, que sem dúvida nenhuma, é um lugar  no mínimo inexplicável e que todo mundo deveria ir pelo menos uma vez na vida. Aproveito para deixar a promessa de um dia voltar!

Assista aqui a entrevista feita para o Projeto Produção Cultural no Brasil com Jochen Volz, curador artístico de Inhotim:

Jochen Volz from Casa da Cultura Digital on Vimeo.

receitas com cachaça - Banner Mapa da Cachaça
Rotulos de Cachaça
Gabriela Barreto

Gabriela Barreto

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *