Artigos

Tiquira – Aguardente do Brasil

Print Friendly

A Tiquira é um destilado de mandioca muito popular no Maranhão. Alguns consideram a Tiquira a verdadeira aguardente brasileira.

Tiquira - bebida típica do Maranhão. Foto por Caio Whitaker

Eu infelizmente ainda não conheço o Maranhão. Além da vontade de tirar umas fotos dos belos lençóis maranhenses, uma curiosidade me faz querer visitar quanto antes esse estado brasileiro. Nas minhas pesquisas sobre aguardente, me deparo com a Tiquira – um destilado de mandioca muito popular no estado – que deve ter muitas curiosidades, lendas e histórias, assim como a Cachaça.

Os índios aqui no Brasil, antes da chegada dos portugueses, já bebiam um fermentado de mandioca chamado Cauim. As mulheres mascavam a mandioca, esmagando-a com os dentes e enrolando-a no céu da boca. Apenas as virgens cuidavam desse processo, caso contrário a bebida ficaria ruim de acordo com a tradição. Elas mastigavam a mandioca com bastante saliva, cuspindo tudo num recipiente. Aquela mistura fermentava resultando numa bebida nutritiva e inebriante, com o gosto semelhante ao soro de leite. A bebida era consumida por homens e mulheres durante as festas na tribo, além de fazer parte do ritual canibal, antes dos grandes banquetes. Com a chegada dos europeus vieram também as técnicas de destilação e o fermentado Cauim virou a aguardente Tiquira – originária da palavra Tupi Tikira que significa líquido que goteja

Hoje o destilados é produzido em diversas cidades do Maranhão, sendo bastante popular também em Tianguá, no Ceará. Ela é originalmente incolor, mas alguns produtores adicionam folhas de tangerina durante o processo de destilação (pratica usada também em algumas cachaças) dando uma cor lilás que tende a clarear com o tempo. Outros produtores adicionam um corante anti-séptico chamado Cristal Violeta que garante um vívido azul-arroxeado à bebida.

Os mais conservadores dizem que a Tiquira é a verdadeira aguardente brasileira, já que a mandioca é genuinamente nacional. A cana-de-açúcar, matéria prima da cachaça, é possivelmente originária do norte da Nova Guiné e foi trazida pelos portugueses das suas plantações nas ilhas da Madeira e São Tomé.

Entre as bebidas destiladas da mandioca, apenas a Tiquira tem legislação própria. Ela deve ser obtida a partir da destilação do mosto fermentado de mandioca e ter o teor alcoólico entre 38° a 54° GL. Outros destilados originados da mandioca, mas que não seguem os processos de produção e teor alcoólico da Tiquira, devem ser chamados de aguardentes de mandioca.

A minha motivação para pesquisar cachaça – que é o grande tema desse site – é justamente conhecer os costumes e culturas do Brasil. Então, apesar de não ser um destilado de cana, a Tiquira se enquadra no tema da minha pesquisa, por isso é inevitável que ela apareça outras vezes aqui no Mapa da Cachaça.

No futuro, quando eu e a Tiquira formos devidamente apresentados, coloco aqui minhas impressões sobre a bebida.  E claro, compartilho com vocês também as minhas fotos do Maranhão, assim como minhas aventuras pelo Brasil comendo muito caranguejo, bebendo Guaraná Jesus (bebida de cor rosa típica do MA) e pesquisando as nossas aguardentes.

Foto de Caio Whitaker

[adsanity_group group_ids=5172 num_ads="2" num_columns="2"]
Felipe Jannuzzi

Felipe Jannuzzi

Felipe é produtor multimídia. Estudou Imagem e Som na UFSCar e comunicação digital na USP. Na velhice, talvez sossegue e monte o próprio alambique, mas agora quer conhecer e divulgar todos os cantos do Brasil.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários

25 comentários

  1. Vejam só, e não é que a Tiquira é a Pinga indígena brasileira? Tikira: líquido que goteja! Eu não sabia disso 😉

    Legal que o costume da folha de mixirica na destilação é costume super tradicional na Cachaça, como você bem colocou, principalmente em Paraty – é a chamada AZULADA. Fiquei com vontade de experimentar essa Tiquira azulada 😉

    • Renato, vamos pesquisar mais sobre a bebida e colocar no blog as impressões sobre o destilado. Aguarde novidades sobre essa pinga indígena. abraços

  2. Pingback: Dia 21 de maio é dia nacional da Cachaça. O que já temos a comemorar? | Mapa da Cachaça

  3. Caio. Gostei de saber que existe no Brasil uma “pinga de mandioca” e de seu processo antigo e rudimentar de preparação para virar o tal “cauim”. Haviam me dito, há longo tempo, que o cauim viria do milho, por meio do mesmo procecimento descrito. Você pode esclarecer a questão. Abraço.

    • Oi Ely. O Cauim ou Cauym é um fermentado indígena feito de mandioca ou milho. Os índios brasileiros usavam a mandioca – pela abundância aqui do Brasil (é a verdadeira bebida brasileira pq a mandioca tem origens americanas, ao contrário da cana-de-açúcar que veio da Ásia). Inclusive tem uma excelente cerveja artesanal brasileira chamada Colorado Caium (Ribeirão Preto – SP) que leva mandioca na sua composição. Recomendo! abraços

    • Adwalter, ainda nao tomei… Mas dizem que não são boas mesmo. Muito forte e o azul artificial me assusta um pouco. Mas tenho curiosidade em conhecer. abração

  4. Olha, sou de São Luis, capital do maranhao e possso te garantir q essa cachaça é boooooa…… Só nao vai tomar banho depois de tomar ela viu? (rsss lenda)

  5. Olá, gostei de sua pesquisa sobre essa bebida Tiquira,não conheço seu sabor, também não conhecia seu site, estou em São Paulo- capital, aprecio cachaça e whisky.
    Abraço

  6. Tenho esse destilado em casa, faz parte de minha coleção. Não gostei muito, sabor razoável.

  7. Gostaria de saber onde posso comprar uma tiquira aqui em sao paulo. Tive um amigo maranhense o Josue que por sinal trabalhava na Tap trouxe uma vez de Sao Luiz uma gagarrafa.Realmente e FORTE pra dedel mas muito boa.tem que tomar so uma dose pequena
    .AAgradeco se me inindicarem onde encontrar.

  8. aqui vai a dica para quem quiser vir beber dessa maravilha aqui no Maranhão: Depois de ber NÃO MOLHE A CABEÇA. É sério, derruba mesmo….

  9. Olá! Sou elias.Estou iniciando meu TCC.
    Com o tema referente a produção de tiquira e gostaria de receber algum tipo de ajuda, com materiais ou outra coisas do topo dicas interensantes q possam me auxiliares

  10. gostaria de saber o endereço do lugar que vende a tiquira aqui em são paulo obrigado

  11. Amigos a Tiquira Maranhão é uma bebida para ser apreciada, primeiro por ser genuinamente brasileira, a cada dia vem conquistando novos horizontes, indo aos mais distante lugares do globo. Há muitas controversas com relação à essa bebida, acho eu, por que ela ser feita de forma artesanal. Ela tem um sabor único, um azulado muito belo por causa da folha de tangerina ou mexerica para outros. Onde eu moro tem muitas fábricas de Tiquira Maranhão onde se destaca o Povoado São Domingos no município de Santana do Maranhão. Abraços

    • Muito interessante, Ronaldo! Infelizmente, ainda não fomos ao Maranhão. Percebemos que existem alguns tiquiras formalizadas (com registro no Ministério da Agricultura), mas são não levam a folha da mexerica na destilação por restrições da Anvisa, uma pena. Se possível, nos mande fotos das garrafas e dos produtores da sua região. grande abraço

  12. Meu nome é Silvio Carlos Coelho, sou professor do Curso de Agroindústria e Curso Superior em Tecnologia de Alimentos, e trabalho com a disciplina de Tecnologia de Bebidas. Dentro dos conteúdos nos estudamos o processamento da Tiquira tanto pelo método tradicional como por via enzimática. Fizemos uma Tiquira aproveitando o povilho doce para produção de Tiquira por via enzimática, o resultado foi uma tiquira muito boa, macia, de aroma característico agradável e dentro dos padrões de qualidade.
    Fizemos um trabalho que foi apresentado em Búzios no Rio de Janeiro

    HIGIENE ALIMENTAR VOLUME 29 – NS-242/243 – Março/Abril – 2015 – ENCARTE.

  13. Sou Professor do IFMA Campus Maracanã e aqui nos estamos produzindo uma Tiquira, aproveitando o povilho doce para produção de Tiquira por via enzimática, é um processo mais rápido e com o padrão de qualidade da legislação do MAPA. A nossa tiquira não tem coloração, é a tiquira verdadeira do Maranhão. O Corante usado pelos produtores é prejudical a saúde.
    Meu e-mail: scarlos.coelho@gmail.com

  14. Ô meu amigo, eu comprei umas 24 garrafas no interior do nordeste, Pernambuco ( acho, pois faz um tempo enorme) em uma estação rodoviária de um senhor que andava com um bode-guia . Ele era cego. Eu estava a caminho do Ceará, para depois Teresina , passando por Oeiras (1a.capital do PI) e Simplício Mendes no interior do Piauí (região dos morros dos cavalos) e esse destilado “pinga/cachaça” serviu, maravilhosamente, para uma batida com leite moça, servida em um jogo de futebol com Índios da região. INESQUECÍVEL. Acabei batizando alguns indiozinhos a moda deles. Preciso voltar prá lá! A “danada da cachaça” é muito seca, forte, boa!
    Me lembrou aqueles vinhos do Rio G.do Sul fabricado por pequenos produtores, para comer com churrasco, suam e defumados proprios. Vale a pena!

  15. bom dia
    gostaria de adquirir uma garrafa de Tiquira roxa, já tentei pelo Mercado Livre mas deu problema!
    há alguma indicação de fornecedor que faça entrega via correio/Sedex para São Paulo?
    aguardo resposta e agradeço