Artigos

Princípios para Divulgação da Cachaça no Brasil

Print Friendly, PDF & Email

Quais os princípios para a valorização da Cachaça no Brasil? Como ressaltar suas virtudes tirando o estigma de bebida de baixa qualidade sensorial?

O trabalho de valorização da Cachaça no Brasil é uma tarefa delicada, porém não impossível de ser feita por qualquer um que se interesse por isso. Hoje, vamos falar de alguns pontos cruciais para que você, apreciador da bebida E/OU da cultura brasileira, possa embarcar nessa tarefa com eficiência e dirigir a imagem da bebida para um “lugar” legal em nossa sociedade. Aí vão eles.

CACHAÇA TEM MAIS SABOR

Voto nesse slogan, pois ele traduz muita coisa que a Cachaça tem como diferencial. Mais sabor:

  1. por que vem do álcool da cana;
  2. mais sabor pois casa perfeitamente com outros elementos da cultura brasileira (cultura, música, clima, costumes, e até comida);
  3. mais sabor pois é a única a ser junto às várias frutas, especiarias e pratos típicos;
  4. mais sabor pois é o único destilado a ser envelhecido em outras madeiras que não só o carvalho (bálsamo, umburana, sassafraz, vinhático, pereiro, ipê, jequitibá e por aí vai).
gelo com Cachaça no Brasil

CACHAÇA DE VERDADE SE TOMA DA MANEIRA QUE QUISER

Cachaça de Qualidade de verdade não precisa ser tomada apenas pura e “quente” (sem estar gelada). É por essa tradição rústica e endurecida que até hoje acreditamos que a Cachaça é uma bebida forte e que te deixa facilmente alcoolizado(a). O trago direto da cachaça apressa seu consumo em excesso e mascara diversas características de sabor, cor e aroma que a bebida guarda. Se colocamos gelo no whisky, na vodka e até no conhaque, quem disse que a Cachaça tem que ficar de fora? Experimente a sua com gelo, gelada, com açúcar na caipirinha, na comida ou da forma como você quiser criar.

ENTENDER PARA QUEM ELA É NECESSARIAMENTE “MALVADA”, E QUEM TEM CONDIÇÕES DE CONSUMI-LA COM RESPONSABILIDADE

Ponto mais delicado, lógico, da questão. O brasileiro já cultivou por séculos uma noção de que a Cachaça é perigosa e “marvada”, e, por isso temos que tomar cuidado com ela. Eu, enquanto autor do livro “De Marvada a Bendita” já recebi vários avisos desse tipo. E isso é ruim? Temos que lutar contra essa idéia? De maneira ALGUMA. Acho essa “crença popular” uma das coisas mais interessantes, principalmente em classes mais baixas ou em famílias onde o alcoolismo é ou foi um problema. No entanto, para as pessoas que JÁ CONSOMEM ÁLCOOL e, prestemos atenção, NÃO TÊM GRANDES PROBLEMAS COM ELE, mostrar que a Cachaça de Qualidade não é diferente das outras bebidas destiladas de igual teor alcoólico (tão perigosa QUANTO – mas não exatamente MAIS perigosa) é uma tarefa a ser feita.

LUTAR CONTRA OS BAIXÍSSIMOS PREÇOS DA AGUARDENTE E DA CACHAÇA DE MÁ QUALIDADE

A Cachaça sempre foi protagonista de problemas com alcoolismo, é verdade. Mas isso está intimamente ligado aos baixos preços praticados por produtores de aguardentes industriais de baixa qualidade, ou mesmo de algumas bebidas sem rótulo. Essa história precisa mudar, sim.

Por último, mas não por fim, aquelas piadinhas com “cachaceiro”, e que colocam a Cachaça como sinônimo de “bebedeira”, bem, essas a gente pode deixar para a História. E, como toda bebida alcoólica, associar o consumo da mesma à solução de problemas pessoais, como “estimulante”, ou encorajamento para certas atitudes, não é a estratégia mais responsável. A bebida guarda um inebriante universo gourmet, de sabores, cores e aromas e, acredito eu, é isso que temos que mostrar que “Cachaça tem Mais Sabor”.

[adsanity_group group_ids=5172 num_ads="2" num_columns="2"]

Renato Figueiredo

Renato Figueiredo é um Cachaciador: aprecia a Cachaça de um jeito gourmet, brasileiro, e sem chatice desnecessária. É autor do livro "De Marvada a Bendita: A História, a Gastronomia e as Curiosidades da Cachaça, a Mais Brasileira das Bebidas", no qual fala sobre este novo olhar sobre a bebida brasileira. (Ed. Matrix, 120p - nas livrarias).

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários

15 comentários

  1. Boa noite Renato.

    Parabéns pelo post!
    Muito boa as suas colocações.
    Como produtor de Cachaça artesanal, sinto na pele todo o preconceito que ainda existe com a nossa bebida. Acredito que somente trabalhos sérios como o do Mapa da Cachaça e de alguns produtores é que conseguiremos vencer toda a barreira existente. Temos muito trabalho pela frente. Podem contar comigo!

    Um abraço!

    Diretor Geral da Règis Armmont.

  2. Olá, Glener.
    Muito obrigado pelo comentário. Nós aqui do Mapa acreditamos muito nesse movimento de valorização da Cachaça e acreditamos muito que esse cenário está prestes a mudar.
    Como autor de livro, tenho realmente sentido esse preconceito diariamente, inclusive para a divulgação do mesmo. Mas com trabalho sério, de produtores, distribuidores, apreciadores e comunicadores, vamos juntos alterar esse cenário, não é?

    Bom estar em contato.

    Um abraço,
    Renato Figueiredo.
    Convido-o a visitar também o hotsite de meu livro: http://www.estavanoseunariz.com.br

  3. Nós da Cachaça é Presente, acreditamos tanto no produto que, além da loja Web, neste mês inauguramos uma loja em São Bernardo do Campo-SP, e percebemos no contato com o cliente, que o preconceito ainda existe, conforme o Glener comentou. Porém acreditamos que o trabalho de valorização do produto em conjunto, vai surtir efeito, em médio prazo.

    Quando conseguimos despertar o interesse e fazemos algumas comparações com outras bebidas, o cliente aceita bem os argumentos e se dispõe a apreciá-la. Quase sempre volta com considerações bastante favoráveis e que se não fosse pelo contato “face to face” continuaria refém da antiga má fama da Cachaça.

    E vamos em frente.

    Abraços a todos
    Marcos e Sandra

    http://www.cachacaepresente.com.br
    [email protected]
    http://www.cachacaepresente.blogspot.com.br

  4. Olá, Marcos! Olá Sandra!

    Pois é, o que vocês colocam é muito interessante: o que mais falta para a Cachaça ser valorizada é informação. As pessoas não conhecem o produto!

    Espero que cada vez mais esse “médio prazo” se encurte, e é bom ver que tem bastante gente trabalhando por ela!

    Um abraço!
    Renato.

  5. Olá, Manoel!

    Pois é, várias formiguinhas juntas conseguirão fazer um trabalho bacana!
    Avise-nos quando sair o livro.

    Abraços,
    Renato.

  6. Pingback: Cachaça e Alcoolismo | Mapa da Cachaça

  7. Pingback: A Cachaça e as Outras Bebidas (parte I) | Mapa da Cachaça

  8. Parabens pelo trabalho. Nossa bebida nacional, que eu chamo de NOSSA BEBIDA TIPICA, pois comparo com outras, em outros paises, por exemplo a TEQUILA, a cachaça ainda nao conquistou o mundo, pela falta de cultura e pela falta de valorização de nos os brasileiros. Necessita tambem de investimentos em promoção, pois os brasileiros necessitam urgentemente conhecer a cachaça artesanal de qualidade. Sou um sonhador e realizo eventos de valorização da cachaça, veja em http://www.degustandonossacultura.blogspot.com Forte abraço a todos os apreciadores de cachaça de qualidade….

  9. Olá, Eduardo !

    Obrigado pelo comentário.
    Que bom que há “sonhadores” como você! É disto que precisamos, para fazer esta bebida virar “realidade”.
    Li recentemente sobre suas propostas de criação da Rota Mineira, muito interessante.
    Forte Abraço!

  10. Salve. Para harmonizar cachaça com defumados,sejam eles suinos, peixes ou frango, qual a cachaça, ou qual o tipo de madeira utilizada no envelhecimento de cachaça que seria a ideal?Sou produtor de cachaça no sul de minas: Cachaça Gandaia e Boa Nova.Utilizo as seguintes madeiras : Òleo Bálsamo, Carvalho, e jequitibá Rosa.Obrigado pela ajuda. Inté

    • Oi Alcide. tudo bom? Para defumados, uma cachaça envelhecida por mais de 1 ano em carvalho pode ser uma harmonização muito interessante. Para carnes de porco, recomendamos o uso de um blend equilibrado de carvalho e bálsamo, para deixar a cachaça menos enjoativa e para tomar durante toda a refeição. Estamos tendo resultados interessantes harmonizando carnes com cachaças envelhecidas em canela-sassafras, pode ser uma boa pedida também. Não deixe de cadastrar suas cachaças no http://www.guia.mapadacachaca.com.br

  11. Gostaria de saber se vcs podem me ajudar no sentido de como fazer uma cachaca de boa qualidade ja que comprei um alambique artezanal.
    Quais os primeiros passos que devo tomar?
    Nome; Wagner santos
    Aracaju-se

  12. Gostei muito de sua matéria, há uma cultura a ser reescrita sobre a Cachaça… Sou produtor de Cachaça em Resende Rj e Psicanalista em São Paulo… A mais brasileira de nossas bebidas realmente enfrenta um problema crônico que é a produção de cachaças de má qualidade e preço irrisório, que só vai contra nós os produtores de Cachaça de qualidade elaborada! Obrigado!