Artigos

Museu da Cachaça de Paty de Alferes – Rio de Janeiro

Print Friendly, PDF & Email

Em Paty de Alferes no Rio de Janeiro, visitamos o Museu da Cachaça, onde estão expostos rótulos, garrafas, documentos históricos e até algumas pinguinhas para degustação.

Museu da Cachaça de Paty de Alferes
Paty de Alferes, RJ
R. Nova Mantiquira, 227 – Mantiquira
Telefone (24) 2485-1475

Museu da Cachaça de Paty de Alferes

Museu da Cachaça na cidade de Paty de Alferes no Rio de Janeiro

O Museu da Cachaça de Paty de Alferes no Rio de Janeiro é um dos mais antigos do país. Inaugurado em 1991 por Íris e Yale Renan, o museu tem o objetivo de resgatar a história da aguardente brasileira. No museu, pudemos encontrar rótulos antigos, uma bela coleção com centenas de garrafas, documentos históricos e até uma sala com diversos barris, onde é possível observar a influência da madeira na cachaça ao longo dos anos.

Museu da Cachaça de Paty de Alferes

Cachaça é história e cultura brasileira

Exposição de Cachaças no Museu da Cachaça de Paty de Alferes

Exposição de Cachaças no Museu da Cachaça de Paty de Alferes

Garrafas antigas no Museu da Cachaça de Paty de Alferes

Rótulos antigos, como da aguardente Maracanã

Apesar da proposta louvável e contar com uma recepção de pessoas simpáticas e dedicadas, o museu peca na estrutura para o turista. Quando estivemos em Paty de Alferes, em outubro de 2013, custamos para encontrá-lo. Na cidade, muitos consideravam que a atração estava fechada e foi difícil acharmos alguém capaz de nos dar alguma direção.

Em um bairro mais afastado do centro, em torno de 15 minutos, chegamos num casarão onde fica o Museu. A visita é rápida e para os pesquisadores e amantes da cachaça, vale a pena dedicar atenção aos documentos garimpados pelo idealizador do museu, o Sr. Yale Renan.

Uma das descobertas mais legais da visita foi encontrar um documento do Governo Imperial do Brasil de Dezembro de 1865 estabelecendo as regras para a imposição do valor da ração de aguardente para as praças do Exército. No final do aviso, há uma partitura com o toque de corneta para distribuição de aguardente.

Museu da Cachaça de Paty de Alferes - documento do século XIX

Documento de 1865 com partitura com toque de corneta para distribuição de aguardente.

Rótulos de Cachaça no Museu da Cachaça de Paty de Alferes

Álbum com centenas de rótulos antigos

Museu da Cachaça de Paty de alferes - madeira e cachaça

A influência da madeira na cachaça

No final da visita, recomendamos um pulinho na sala de degustação, onde o pessoal do museu prepara misturas de frutas e especiarias com aguardente. Na sala ao lado, estão diversos barris de carvalho mostrando como o tempo de envelhecimento e o tamanho do barril influenciam na cor, aroma e sabor da cachaça.

Apesar da proposta  ser mais interessante na teoria do que na prática, o museu apresenta um passeio pela história, cultura, folclore, produção e degustação de cachaça e por isso merece a visita, mas antes, é bom entrar em contato com os responsáveis e reservar um horário.

Fotos: Leo Bosnic e Felipe Jannuzzi

[adsanity_group group_ids=5172 num_ads="2" num_columns="2"]
Mapa da Cachaça

Mapa da Cachaça

Somos uma referência cultural, histórica e sensorial sobre cachaça. Gosta de cachaça boa? Então siga o Mapa da Cachaça.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários

6 comentários

  1. muito bom saber que a cachaça faz parte da historia do Brasil.e vcs estão desvendando e informando os amantes desta relíquia.cachaça é do Brasil. é nossa.

  2. Muito show a reportagem, quem tiver a oportunidade de conhece o museu vai ver que nao é so a historia da cachaça, mas verá que a historia da cachaça se funde a historia do país…

  3. Fiquei surpresa em saber que o primeiro Museu da Cachaca encontra-se no Rio e nao em Minas .Como sou carioca vivendo em Minas na proxima ida ao Rio irei visitar .

  4. Eu adoro colecionar cachaça. Tem varias garrafas mas tem um problema não bebo….gosto de ter ….

  5. Comprei uma exelente cachaça envelhecida 10 anos nesse museu e por um preço bem correto. Bebemos de gota em gota pra não acabar rsrsrs. Um amigo canadense que é louco por whisky e conhece tudo, ficou impressionado quando provou. Nossa próxima visita ao Brasil, vamos dar um pulinho em Paty e comprar algumas garrafas.