Artigos

Cachaça Leblon – De Patos de Minas para o Mundo

Print Friendly, PDF & Email

Desde 2005, a cachaça Leblon é produzida em Patos de Minas, no Alto Paranaíba. Conheça mais sobre a história dessa cachaça com influências francesas, norte-americanas e brasileiras.

Apesar de ser o terceiro destilado mais consumido no mundo, a cachaça não é reconhecida como uma  bebida superior porque pouco foi feito para a difusão de uma cachaça de qualidade. Muito se consome, mas é aquela pinguinha sem graça, absurdamente barata, feita em grandes volumes e associada ao bafo e à dor de cabeça do dia seguinte. As cachaças como a Leblon estão no mercado para mudar esse conceito e elevar toda uma categoria de produção – a da cachaça artesanal de alambique.

Se o nome Leblon tem o apelo internacional de um bairro famoso, chique e de fácil pronunciação em inglês ou francês, a produção da cachaça está bem longe das praias cariocas. É em Patos de Minas, no Alto Paranaíba, onde estão instalados os seus alambiques de cobre. Desde 2005, a cidade foi escolhida para produzir os 350 mil litros por safra da bendita sob a supervisão de Carlos Oliveira, diretor de produção, e Gilles Merlet, master blender francês famoso pelos seus conhaques. A experiência da dupla é fundamental para unir os ingredientes brasileiros com as técnicas de blendagem europeias. As cachaças da Leblon passam por barris de carvalho francês, mas também carregam os aromas, sabores e a tradição do terroir do interior de Minas Gerais.

Canavial da Cachaça Leblon

O canavial da Leblon fica a 4 km da moenda

Com uma comunicação arrojada e com foco no mercado exterior, a Leblon quer vender a cultura brasileira em uma dose de cachaça. As suas ações de marketing estão sempre associadas ao estilo de vida do povo brasileiro e ao consumo de Caipirinha, um drinque já reconhecido internacionalmente. Entre as campanhas de maior destaque está a “Salve a Caipirinha”, uma iniciativa da marca para exaltar a mistura de limão, gelo, açúcar e cachaça – posto que vem sendo substituído por outros destilados. Capivodca, Caipisaque ou Caipiríssima estão roubando os holofotes do único coquetel brasileiro.

A visão estratégica é responsabilidade de outro estrangeiro e principal executivo da Leblon, o norte-americano Steve Luttmann. Apaixonado pelo Brasil, Luttmann construiu uma marca de cachaça do zero priorizando a qualidade e mostrando que uma bebida de difícil pronunciação, e até pouco tempo atrás conhecida nos EUA como Brazilian Rum, tem tudo para agradar os paladares mais exigentes.

Barris de Carvalho Francês na Leblon

Barris de carvalho francês usados para envelhecer cognac agora envelhecem cachaça mineira

Se a garrafa comprida e enfeitada com cores verde limão mas parece uma garrafa de vodca premium do que uma cachaça mineira, a experiência de visitar o coração da Leblon em Patos de Minas nos mostra a essência por trás da embalagem. A Leblon é uma marca que já nasceu global, mas que tem o desafio de traduzir a complexidade de um produto brasileiro centenário ainda pouco conhecido – e essa comunicação deve ser feita de gole em gole, devagarinho. O melhor exemplo para mostrar essa complexidade está na Maison Leblon Signature Merlet, segundo produto lançado pela marca. A cachaça extra-premium leva a assinatura de Gilles Merlet e carrega os aromas e sabores típicos do carvalho francês, mas tem na superfície da garrafa a caligrafia de uma das funcionárias mais antigas da destilaria, a mineira Helen Cristina. A Leblon é um blend de talentos europeu, norte-americano e brasileiro.

Garrafas da Cachaça Leblon

Atualmente são dois tipos de cachaça Leblon que estagiam em carvalho francês.

Com o tempo e o sucesso das cachaças de qualidade no Brasil e exterior, acredito que a Leblon poderá afrouxar ainda mais o nó da gravata e se fortalecer como uma bebida cada vez mais brasileira. O primeiro passo foi a criação de um licor de Açaí – e não me espantaria se nos próximos anos lançarem produtos que traduzam ainda mais essa brasilidade, usando madeiras nativas no processo de envelhecimento da aguardente e seguindo até mesmo a linha das engarrafadas, com infusões de ervas e raízes do cerrado.

Em um mercado saturado com diversos rótulos de uísque, tequila, vodca, rum, a cachaça seria um nova bebida para atiçar a curiosidade e o paladar de consumidores que buscam um destilado diferenciado. E talvez uma das grandes sacadas da Leblon foi reconhecer o potencial do destilado brasileiro para ocupar um lugar de destaque ao lado de outros grandes spirits. O desafio não está apenas em produzir uma bebida de qualidade para um mercado global, mas também comunicar os seus valores, a sua tradição e a sua complexidade sensorial. Se essa for a fórmula para o sucesso de uma marca de cachaça, a Leblon está no caminho certo.

Fotos e Vídeo: Leo Bosnic, Felipe Jannuzzi, Paralelo e Grão Filmes

[adsanity_group group_ids=5172 num_ads="2" num_columns="2"]
Felipe Jannuzzi

Felipe Jannuzzi

Felipe é produtor multimidia. Na velhice, talvez sossegue e monte o próprio alambique, mas agora quer conhecer e divulgar todos os cantos do Brasil.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários

7 comentários

  1. primeiro de tudo quero dizer que esta cachaça simples é excelente, aprovado, todos finais de semana estou saboreando.

    • Alô CARLOS , SE LEBRA DE MIM, TEMPOS PASSADOS EU POSSUIA UMA “VAN MASTER” E FIZ DUAS VIAGENS PARA VOCE, meu motorista, E PEGUEI COMO PAGAMENTO 4 litros de LEBRON, AS QUAIS CONSUMI EM 3 meses, NUNCA MAIS DELA TOMEI. GOSTARIA DE COMPRAR 6 litros, porém é necessário que você me diga como devo proceder para recebe-la e para fazer o pagamento. Espero que você possa atender meu pedido, ok? JAZON

  2. Não gosto de cachaça, mas conheci Leblon em um restaurante de um amigo em Lauro de Freitas, o Zero e me apaixonei.
    É boa demais, suave, leve, aromatizada e não deixa aquela inhaca de cachaça.

    Adorei.

    Onde compro em Salvador?

    Att
    Vera Raupp

    • Oi Vera, tudo bom? Já passamos seu pedido para os responsáveis pela marca. Eles devem entrar em contato em breve. abraços. Equipe Mapa da Cachaça

  3. Boa noite,
    Sou de Patos de Minas e Morro em Valinhos SP. So um apaixonado pela cachaça Bem Vinda e sempre que vou em Patos trago sempre algunas garrafas, mas quando ofereço aos meus amigos e acabam tomando todas. Gostaria de saber se encontro alguma adega na região que tenha pra venda.

    Desde de já lhe agradeço.

    Grande abraço a todos Mineiros.